sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Romário diz que "se Platini for eleito, a FIFA continua a ser a mesma m...."

O antigo futebolista Romário, atualmente senador brasileiro, considera que nenhum dos atuais candidatos à presidência da FIFA "é credível", acusando o líder da UEFA, Michel Platini, de, caso seja eleito, poder manter as coisas como estão e a FIFA continuar a ser a mesma m...".

"Platini colaborou muitos anos com esta máfia da FIFA. Não digo que esteja corrompido, mas também ajudou a 'contaminar' o sistema. Se for eleito, pode manter as coisas como estão e a FIFA continuar a ser a mesma m...", disse o antigo internacional brasileiro. (Arquivo)

"Platini colaborou muitos anos com esta máfia da FIFA. Não digo que esteja corrompido, mas também ajudou a 'contaminar' o sistema. Se for eleito, pode manter as coisas como estão e a FIFA continuar a ser a mesma m...", disse o antigo internacional brasileiro. (Arquivo)

© STRINGER Brazil / Reuters

No início de junho, poucos dias depois de ter 'rebentado' o escândalo de corrupção na FIFA, Romário tinha pedido ao Senado brasileiro uma investigação parlamentar sobre os negócios do futebol no Brasil, nomeadamente atendendo à implicação no processo de José Maria Marín, antigo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Segundo Romário, a investigação deveria abarcar não só a Taça e o Campeonato do Brasil mas também Taça das Confederações de 2013 e o Mundial de 2014, que tiveram por palco o Brasil.

O suíço Joseph Blatter, presidente demissionário da FIFA, e o francês Michel Platini, presidente da UEFA e candidato à presidência da FIFA, foram suspensos por 90 dias pelo comité de ética do organismo, que puniu também o também candidato Chung Mong-Joon, por seis anos.

Igualmente suspenso por 90 dias foi o secretário-geral da FIFA, Jerôme Valcke.

Além de Platini, são candidatos às eleições de 26 de fevereiro, o príncipe jordano Ali bin Hussein, o ex-futebolista Zico e o presidente da Federação Liberiana de futebol, Musa Bility.

O prazo para entrega de candidaturas à presidência do organismo termina a 26 de outubro.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.