sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

José Maria Marín aceita extradição para EUA no processo de corrupção FIFA

O brasileiro José Maria Marín, antigo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), aceitou a sua extradição para os Estados Unidos, revelou hoje o Ministério Federal da Justiça da Suíça.

José Maria Marín, antigo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

José Maria Marín, antigo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

© Jorge Adorno / Reuters

José Maria Marín encontra-se detido na Suíça desde o final de maio, no processo de corrupção que abalou a FIFA pouco antes das eleições do organismo máximo do futebol mundial.

Com este consentimento, o governo suíço já procedeu à autorização da extradição mediante um processo simplificado, mas indicou que não revelará qual a data de saída do ex-dirigente.

O brasileiro, de 83 anos, faz parte do grupo dirigentes e ex-dirigentes da FIFA detidos em Zurique e suspeitos de terem aceitado luvas de mais de 100 milhões de dólares (mais de 90 milhões de euros).

O pedido formal de extradição, transmitido à Suíça pela justiça norte-americana a 01 de julho, é fundamentado com um mandado de prisão emitido a 20 de maio pelo distrito de Nova Iorque.

Marín é suspeito de ter aceitado, juntamente com outros dirigentes, dinheiro para favorecer a atribuição dos direitos de 'marketing' das Taça América de 2015, 2016, 2019 e 2023, e da Taça do Brasil de 2013 e 2022.

Inicialmente, o ex-presidente da CBF opôs-se à extradição, mas acabou por consenti-la na terça-feira.

Dos detidos em maio, Jeffrey Webb, originário das Ilhas Caimão e antigo vice-presidente da FIFA, aceitou a sua extradição para os Estados Unidos em julho.

Os outros responsáveis da FIFA detidos mantêm a recusa em serem extraditados, indicando que irão recorrer para o tribunal penal Federal, o que já aconteceu com Eugenio Figueredo e Rafal Esquivel.

A 15 de outubro, a justiça suíça autorizara a extradição para os Estados Unidos do nicaraguense Júlio Rocha, também um dos sete dirigentes da FIFA detidos no final de maio em Zurique.

A Nicarágua também tinha pedido a extradição do dirigente, detido desde 27 de maio, o que foi aceite pela Suíça, mas apenas se os Estados Unidos não evocassem prioridade, o que acabou por acontecer.

A partir de setembro, as autoridades helvéticas deram o seu aval à extradição a mais quatro dirigentes: Rafael Esquivel, antigo presidente da Federação venezuelana e membro executivo da Confederação sul-americana (CONMEBOL), o uruguaio Eugenio Figueredo, antigo vice-presidente da CONMEBOL e vice-presidente da FIFA, Eduardo Li, antigo presidente da Federação da Costa Rica, e o britânico Costas Takkas, antigo adjunto do presidente da Confederação da América do Norte, Central e Caraíbas.

RPM // VR

Lusa/fim

NewsSubjects:- Desporto - Futebol - corrupção

20151028T145838

  • Romário defende a prisão de Joseph Blatter
    0:35

    Corrupção na FIFA

    José Maria Marín, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol, foi um dos detidos no escândalo de corrupção que abala a FIFA. A Confederação já retirou o nome do antigo líder da fachada da sede no Rio de Janeiro. Romário é um dos maiores críticos de Marín. O agora senador e antiga estrela do futebol brasileiro elogia a atuação das autoridades suíças e defende a prisão de Joseph Blatter.

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.