sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Platini vai recorrer para o TAS e acusa Comité de Ética de falta de isenção

O presidente suspenso da UEFA, o francês Michel Platini, acusou hoje o Comité de Apelo da FIFA de falta de isenção, no dia em que foi rejeitado o seu recurso, e revelou que irá recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Maxim Shemetov / Reuters

Platini acusa o Comité de ser um órgão "de acusação da FIFA", pela "via das suas instâncias internas", e recorrerá para o TAS, o qual considera "independente e sério", segundo informaram hoje os seus advogados, numa nota enviada à AFP.

De acordo com os mesmos, a FIFA "organiza -- e ninguém o tenta esconder -- uma estratégia deliberada e inadmissível de atraso da campanha de Michel Platini para a presidência" do organismo.

Os advogados de Platini reiteram agora a "confiança no TAS para reestabelecer todos os [seus] direitos".

Hoje, o Comité de Apelo da FIFA, presidido por Larry Mussenden, rejeitou os recursos de Joseph Blatter e Michel Platini e confirmou, na totalidade, as suspensões de 90 dias impostas pelo Comité de Ética do organismo do futebol mundial.

"O Comité de apelo da FIFA rejeita o recurso, na totalidade, e confirma a integridade da decisão respeitante a medidas provisórias tomadas pelo Comité de Ética a 07 de outubro de 2015", começa por referir, em comunicado, a FIFA em relação a Joseph Blatter.

Em relação a Platini, o Comité de Apelo salienta igualmente a rejeição do recurso apresentado, da decisão tomada a 07 de outubro e confirmada, posteriormente, a 20, depois de ter sido ouvida a parte interessada.

Esta decisão surge após os recursos apresentados pelo presidente demissionário da FIFA e pelo francês Michel Platini, da UEFA, que foram suspensos provisoriamente por 90 dias, em consequência do escândalo de corrupção na instituição.

Na ocasião, o secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, também foi suspenso provisoriamente por 90 dias.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Cultura

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Mágico comove audiência do Britain's Got Talent com a história de cancro da mulher e da filha
    5:16