sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Justiça suíça congela contas bancárias a pedido dos EUA

O Ministério da Justiça suíço confirmou hoje ter congelado contas de vários milhões de francos suíços depositados em bancos helvéticos, na sequência das investigações de corrupção à FIFA.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Arnd Wiegmann / Reuters

A medida foi tomada após um pedido das autoridades norte-americanas, que pretendem ter acesso a documentos de 50 contas em vários bancos suíços.

A justiça norte-americana está a investigar o alegado pagamento de subornos a dirigentes da FIFA pagos por empresas de direitos de comercialização de torneios de futebol, em particular da América Latina e do Norte.

A FIFA foi abalada por um escândalo de corrupção em maio, a dois dias da reeleição de Joseph Blatter como presidente do organismo máximo do futebol mundial, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos e que levou à acusação de 14 dirigentes e ex-dirigentes.

Alguns dos dirigentes acusados já foram extraditados para os Estados Unidos, e outros ainda estão detidos na Suíça a aguardar uma decisão da justiça helvética sobre os recursos apresentados pelos implicados.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.