sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

UEFA diz que Platini ainda tem possibilidade de poder "limpar o seu nome"

A UEFA mostrou-se hoje desapontada pela decisão do Comité de Ética da FIFA em suspender Michel Platini por oito anos, mas lembrou que o presidente do organismo do futebol europeu ainda tem possibilidade de limpar o seu nome.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Denis Balibouse / Reuters

"Naturalmente, a UEFA está extremamente desapontada com esta decisão, embora ainda seja passível de recurso. Mais uma vez, a UEFA apoia o direito que Michel Platini tem a um processo transparente e a oportunidade de poder limpar o seu nome", lê-se numa pequena nota publicada pelo organismo no seu site oficial.


O suíço Joseph Blatter, presidente demissionário da FIFA, e francês Michel Platini, que lidera a UEFA, foram suspensos por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol, anunciou hoje o Comité de Ética da FIFA.

Em comunicado, o comité da FIFA, que na semana passada ouviu Joseph Blatter e os advogados de Platini -- que se se recusou a comparecer -, indica que a sanção "entra imediatamente em vigor" e tem "âmbito nacional e internacional".

Platini, que com esta decisão fica impedido de avançar com a sua candidatura à presidência da FIFA, foi punido com uma multa de 80.000 francos suíços (cerca de 74.000 euros).

Na base das suspensões está o facto de o comité ter considerado que o pagamento de uma verba de dois milhões de francos suíços (cerca de 1,8 milhões de euros) feito pela FIFA, após autorização de Blatter, a Platini "não tem base legal no acordo que ambos fizeram em agosto de 1999".

Blatter e Platini já estavam suspensos por 90 dias, devido a esta investigação, desde 08 de outubro, data em que o secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, também foi suspenso, igualmente por implicação no escândalo de corrupção que atinge a instituição.

A decisão do Comité de Ética da FIFA é passível de recurso, tanto de Blatter como de Platini, para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) e para a justiça civil suíça.

Lusa

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.