sicnot

Perfil

Football Leaks

Presidente do Barcelona fala em investigações "injustas" no caso Football Leaks

© Albert Gea / Reuters

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, defendeu esta terça-feira que os jogadores de futebol que nos últimos meses têm sido investigados por alegados delitos fiscais estão a ser vítimas "de uma injustiça".

Em conferência de imprensa de balanço do segundo semestre de 2016, o líder da equipa catalã criticou duramente as considerações no sentido de "criminalizar ou impor penas de prisão" por delitos fiscais a jogadores que atuam na Liga espanhola.

Para o responsável da equipa 'azulgrana', é necessário que existam "normas que possam ser cumpridas".

"A insegurança jurídica que se vive no mundo do futebol tem afetado os jogadores do FC Barcelona, mas também jogadores de outras equipas. Quero dar esta palavra em defesa dos jogadores, dos seus agentes e assessores fiscais. É impossível que todos estejam equivocados ao mesmo tempo", disse.

A 03 de dezembro, os membros do European Investigative Collaborations (EIC), que incluem o Expresso, noticiaram que Cristiano Ronaldo evadiu, alegadamente, 150 milhões de euros em impostos através de uma sociedade nas Ilhas Virgens.

A informação, que também envolve outros jogadores, entre os quais Fábio Coentrão, Ricardo Carvalho ou Pepe, assim como o internacional alemão Mesut Ozil, do Arsenal, foi colhida a partir de 1.900 gigabytes de documentos a que o referido consórcio europeu teve acesso e sobre os quais trabalharam 60 jornalistas durante mais de sete meses.

De acordo com os documentos, cedidos aos citados OCS pela plataforma digital 'Football leaks', são muitas a estrelas do futebol internacional que se esforçam por ocultar os seus rendimentos ao fisco.

"Os agentes e assessores fiscais dos futebolistas estão não sabem como proceder, porque os critérios estão sempre a mudar", vincou Bartomeu.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.