sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Salgado diz que não pediu favores nas reuniões com políticos

O antigo líder do BES Ricardo Salgado disse esta quinta feira no parlamento que nas reuniões que manteve com políticos em 2014 não pediu favores mas procurou alertar os responsáveis para o "risco sistémico" que a queda do banco poderia causar.

(Lusa/Arquivo)

"Não fui pedir qualquer favor", sinalizou o ex-banqueiro, acrescentando que procurou nas reuniões com responsáveis políticos - casos do Presidente da República e do primeiro-ministro, entre outros - garantir "apoio institucional" para o BES e alertar para um eventual "risco sistémico".

"Infelizmente não estava enganado", prosseguiu Salgado, que falava na comissão de inquérito à gestão do caso BES e Grupo Espírito Santo (GES).

A exposição inicial de Ricardo Salgado teve cerca de uma hora, tendo arrancado pelas 15:10, ao passo que 60 minutos depois arrancou o primeiro bloco de perguntas, cabendo ao PSD, e ao deputado Carlos Abreu Amorim, fazer as primeiras questões.

A comissão de inquérito teve a primeira audição a 17 de novembro passado e a audição de hoje de Salgado é a primeira repetição nesta comissão.

A última audição prevista para a comissão de inquérito é a da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, que prestará novo depoimento perante os deputados na próxima quarta-feira. 

Os trabalhos dos parlamentares têm por objetivo "apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades".

Lusa
  • Salgado lança ataque ao Banco de Portugal

    Queda do BES

    O ex-líder do BES Ricardo Salgado disse hoje que só conheceu através da comunicação social a parte da auditoria forense da Deloitte já revelada, o que afirmou ser "inadmissível". O antigo banqueiro regressou esta tarde à comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo, começando por lamentar o "julgamento sumário" de que diz estar a ser alvo e lançou acusações ao Banco de Portugal. As medidas impostas pelo Banco de Portugal foram também visadas.

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Centeno aponta para a reforma e expansão do euro
    0:32

    Economia

    O ministro das Finanças português participa hoje na primeira reunião enquanto presidente do Eurogrupo. À entrada para o encontro dos ministros das Finanças da moeda única, Mário Centeno apontou a reforma do Euro como um dos principais desafios do mandato que agora inicia. 

  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    O Ministério Público espanhol pediu ao tribunal supremo para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, que se deslocou à Dinamarca para participar numa conferência. O Supremo rejeitou no entanto o pedido. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".