sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Constâncio diz que solidez financeira do BES não foi abordada quando esteve no BdP

O antigo governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio disse hoje, numa carta, que enquanto exerceu o cargo, entre 2000 e 2010, não recebeu informações sobre eventuais perigos da solidez financeira do Banco Espírito Santo (BES).

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

Reuters

"Durante o período em que exerci essas funções nunca recebi, quer dos serviços, quer do vice-governador responsável pelos assuntos de supervisão bancária, informações que pudessem pôr em causa a solidez financeira do BES ou o respetivo cumprimento dos rácios prudenciais que constituem aspeto fundamental da supervisão bancária", declarou Constâncio.

 

As palavras do atual vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) surgem em carta endereçada à comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES), com Constâncio a responder na missiva - a que a agência Lusa teve acesso - a várias perguntas enviadas por escrito pelos vários partidos.

 

O responsável alerta, contudo, que o BCE, "enquanto instituição europeia, responde apenas perante o Parlamento Europeu", mas respondeu a questões em torno do período em que foi governador do BdP.

 

Vítor Constâncio diz que entre 2000 e 2010 nunca foi contactado por membros do Conselho Superior do GES sobre dúvidas nas contas do grupo ou de alguma das suas 'holdings', e frisa só ter tido conhecimento dos problemas no BES quando estes foram tornados públicos.

 

"Tomei conhecimento dos problemas do BES que conduziram à sua resolução quando o assunto se tornou público em 2014", declara.

 

A comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES) está hoje a ouvir o presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, que marca presença no parlamento pela segunda vez desde o arranque dos trabalhos.

 

A comissão de inquérito teve a primeira audição a 17 de novembro passado e hoje, além de Carlos Tavares, será ainda escutado o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.

 

A última audição prevista para a comissão de inquérito é a da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, que prestará novo depoimento perante os deputados na quarta-feira.

 

Os trabalhos dos parlamentares têm por objetivo "apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades".

 

 Lusa

 

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.