sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Lesados do BES enchem paredes de cartazes na sede do Novo Banco

galeria de fotos

Os lesados do Banco Espírito Santo (BES) que hoje se manifestam em Lisboa, chegaram à sede do Novo Banco, na Avenida da Liberdade, alguns de ânimos exaltados e colando cartazes de protesto nas paredes de vidro. 

Lusa (arquivo)

TIAGO PETINGA/ LUSA

JOS\303\211 COELHO

JOS\303\211 COELHO

TIAGO PETINGA

TIAGO PETINGA

TIAGO PETINGA

As dezenas de lesados do BES que investiram em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES), concentraram-se inicialmente no Rossio, mas conseguiram parar um dos sentidos da avenida da Liberdade, concentrando-se agora junto à sede do banco, na Avenida da Liberdade/Rua Barata Salgueiro.

 

Exaltados, alguns dos manifestantes começaram a bater nas paredes do Novo Banco, tendo sido desde logo impedidos de continuar pelo cordão policial que está junto aos vidros da instituição financeira.

 

"Justiça" e "queremos o nosso dinheiro" são as palavras mais ouvidas.

 

 A manifestação foi organizada pela Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial (AIEPC), que está a promover hoje três manifestações em simultâneo no país: Porto (Av. dos Aliados), Caldas da Rainha (Praça 25 de Abril em frente à Câmara Municipal) e Lisboa (Zona sul do Rossio).

 

Os depositantes queixam-se de ter perdido as suas poupanças, depois de serem levados a investir o dinheiro em aplicações do Grupo Espírito Santo (GES), aos balcões do BES, que o banco, segundo os mesmos, garantia não serem de risco.


Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.