sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Medida de resolução do BES era perfeitamente necessária e adequada, diz Ministério Público

A medida de resolução aplicada pelo Banco de Portugal (BdP), que levou à criação do Novo Banco, "era perfeitamente necessária e adequada", segundo um parecer do Ministério Público (MP), a que a agência Lusa teve hoje acesso.

O objetivo das audições é permitir aos antigos administradores, entre eles Ricardo Salgado e Morais Pires, que expliquem o grau de responsabilidade que tinham antes da revelação do buraco nas contas do BES, a 30 de julho, e da resolução logo a seguir. (Arquivo)

O objetivo das audições é permitir aos antigos administradores, entre eles Ricardo Salgado e Morais Pires, que expliquem o grau de responsabilidade que tinham antes da revelação do buraco nas contas do BES, a 30 de julho, e da resolução logo a seguir. (Arquivo)

Francisco Seco / AP

O parecer, datado de 15 de abril e assinado pelo procurador Arménio Fidalgo, do Tribunal Administrativo de Lisboa, dá razão ao regulador quando deliberou pela aplicação da medida de resolução, e rejeita os fundamentos de cerca de meio milhar de pequenos acionistas que avançaram com uma ação administrativa especial a pedir a nulidade dessa deliberação, junto do mesmo tribunal.

Na ação popular interposta contra o BdP e o Novo Banco, os autores pedem a nulidade da deliberação do conselho de administração do regulador, de 03 de agosto de 2014, que determinou, como medida de resolução, "a transferência para o Novo Banco dos ativos, passivos, elementos extrapatrimoniais e ativos sob gestão do BES", sem atribuir, segundo estes acionistas, "qualquer contrapartida", o que "constitui um verdadeiro confisco".

"Ao invés do sustentado, mostram os factos já apurados que a medida de resolução era perfeitamente necessária e adequada face à situação concreta então existente", defende o MP.

Os signatários, que no total possuíam 16.432.917 ações do BES, banco que na altura era presidido por Ricardo Salgado, defendem que a deliberação do regulador viola o direito de propriedade, pois as ações "ficaram desprovidas de valor".

"Ao contrário do que alegam os autores, não é verdade que a medida de resolução tenha acarretado qualquer diminuição do valor das ações, pois não foi a medida de resolução que fez com que as ações do BES -- em situação de rutura iminente -- perdessem o seu valor económico. Ao invés, foram, sim, os factos e a gestão desse banco que provocaram a situação em que o mesmo caiu", salienta o procurador.

O MP diz que os acionistas continuam titulares do direito aos rendimentos proporcionados por essas ações, como será o caso do direito ao remanescente da massa insolvente.

"A medida de resolução e os seus desenvolvimentos não implicaram qualquer apropriação, pelo Estado, para o seu próprio património ou para o de terceiros, de bens ou valores que pertencessem a acionistas do BES, particularmente das ações dos autores", defende o procurador Arménio Fidalgo.

O magistrado refere que a aquisição de ações traduz-se, sempre, para o bem e para o mal, "num investimento de alto risco", argumento também utilizado pelo Banco de Portugal e pelo Novo Banco nas contestações já enviadas ao Tribunal Administrativo de Lisboa.

"Esquecem os autores que ser proprietário de ações, não é, neste aspeto, nem jurídica nem economicamente, o mesmo, por exemplo, que ser titular de um depósito bancário ou proprietário de um prédio rústico. E depois, pela própria natureza das coisas, são sempre os acionistas que, no limite, sofrem as perdas do descalabro das instituições da qual são sócios, quaisquer que sejam as causas e circunstâncias dessa derrocada", sustenta o MP.

Os autores da ação, representados pela sociedade de advogados Pereira de Almeida e Associados, alegam que, "ao esvaziar o valor das ações", o regulador violou os princípios da igualdade, da proporcionalidade e da justiça.

O MP refere que, neste ponto, há falta de fundamentação destes acionistas, os quais não explicam em que é que esses direitos foram violados, "não se sabendo em que concretos e específicos juízos de facto e juízos lógicos fazem os autores assentar esta sua arguição".


Lusa
  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.