sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Terceira parte da auditoria forense ao BES confirma gestão ruinosa

A terceira parte da auditoria forense que a Deloitte conduziu ao BES confirma gestão ruinosa da instituição.

O relatório final é apresentado na próxima quarta-feira. (Arquivo)

O relatório final é apresentado na próxima quarta-feira. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Tais atos de gestão ruinosa terão sido "praticados pelos membros dos órgãos sociais" do BES, indica o texto, a que a agência Lusa teve hoje acesso e que foi enviado na segunda-feira pelo Banco de Portugal à comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES).

O terceiro bloco incide no passivo financeiro da ESI, e segue-se à revelação em semanas recentes dos dois primeiros momentos do texto: primeiro sobre a exposição do BES ao BES Angola (BESA) - no qual se apontava também para "gestão ruinosa" - e uma outra parte mais global na qual era dado como certo que a administração do BES liderada por Ricardo Salgado "desobedeceu ao Banco de Portugal 21 vezes, entre dezembro de 2013 e julho de 2014", praticando "atos dolosos de gestão ruinosa". 

Ainda no capítulo da ESI, o BES possuía "informação suficiente para detetar desconformidades entre a situação reportada nas demonstrações financeiras da ESI e a sua verdadeira situação financeira e patrimonial", mas tal não sucedeu, acrescentam.

Já o relatório final da comissão de inquérito à gestão do BES e do GES foi aprovado na quarta-feira, último dia de trabalhos, com os votos favoráveis de PSD, PS, CDS-PP, abstenção do Bloco de Esquerda (BE) e voto contra do PCP.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.