sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

BCE avança com teste de "stress" ao Novo Banco

O Novo Banco vai ser sujeito ao teste de "stress" do Banco Central Europeu (BCE), anunciou hoje a entidade liderada por Mario Draghi, depois de já ter sido concluída a parte relativa à avaliação dos seus ativos.

Esta nova linha destina-se a apoiar projetos de investimento até 25 milhões de euros, com possibilidade de duplicação do valor, dependendo de várias condições. (Arquivo)

Esta nova linha destina-se a apoiar projetos de investimento até 25 milhões de euros, com possibilidade de duplicação do valor, dependendo de várias condições. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

No ano passado, o Banco Espírito Santo (BES), que deu origem ao Novo Banco depois da intervenção do Banco de Portugal na instituição no início de agosto - a par da Caixa Geral de Depósitos (CGD), do Banco Comercial Português (BCP) e do Banco BPI - participou nos exames à banca europeia realizados pelo BCE.

Contudo, o colapso do BES impediu que a parte relativa à avaliação dos seus ativos fosse concluída a tempo de os resultados serem incluídos na divulgação pública feita por Frankfurt no final de outubro.

"Como a instituição [Novo Banco] foi amplamente reestruturada, os constrangimentos de 'timing' [calendário] não permitem que a 'comprehensive assessment' [avaliação de ativos] seja completada para publicação a 26 de outubro", avançou na altura à agência Lusa fonte oficial do BCE.

Já a Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla inglesa), revelou no início de outubro do ano passado que, tendo em conta a medida de resolução aplicada ao BES e a criação da nova instituição financeira - o Novo Banco, uma entidade de transição -, o teste de 'stress' teve que ser adiado, sem referir nova data.

E é precisamente este teste de resistência que vai agora avançar, segundo a informação hoje avançada pelo BCE.

De resto, há mais oito bancos europeus que vão ser sujeitos este ano a exames completos, semelhantes aos efetuados no ano passado a 123 instituições bancárias de relevo na Europa.

Ao contrário do que acontece com o Novo Banco, que só necessitará de ser submetido ao teste de 'stress', os outros oito bancos vão ser sujeitos aos exames completos, isto é, à avaliação de ativos e ao teste de resistência.

Os bancos em causa são o Banque Degroof (Bélgica), a Agence Française de Développement (França), o JP Morgan Bank Luxembourg (Luxemburgo), o Mediterranean Bank (Malta), o Sberbank Europe (Áustria), o VTB Bank (Áustria), o Unicredit Banka Slovenija (Eslovénia) e o Juntarahoitus Oyj (Finlândia).

Os testes de 'stress' da EBA avaliam a capacidade de resistência dos bancos da União Europeia face a um potencial cenário macroeconómico adverso, ao passo que o BCE está a conduzir uma extensa avaliação dos ativos das instituições que passará a supervisionar a partir de novembro.

A 03 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do Banco Espírito Santo (BES), após o banco ter apresentado prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição.

No chamado banco mau ('bad bank'), um veículo que mantém o nome BES, ficaram concentrados os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas, enquanto no 'banco bom', o banco de transição que foi designado Novo Banco, ficaram os ativos e passivos considerados não problemáticos.


Lusa
  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.