sicnot

Perfil

Queda do BES

PCP quer que ministra das Finanças expliqueperdão de 85M€ ao Novo Banco

PCP quer que ministra das Finanças expliqueperdão de 85M€ ao Novo Banco

O PCP acusa o Governo de usar a lei de serviços mínimos bancários para conceder um perdão de 85 milhões de euros em impostos ao Novo Banco. João Oliveira entende que o Executivo está a ultrapassar todas as regras e vai, por isso, chamar a ministra das Finanças ao Parlamento.

Em conferência de imprensa, o líder parlamentar comunista, João Oliveira, anunciou que o PCP vai pedir a presença da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, na comissão de Orçamento e Finanças, para explicar todo o processo.

Em causa está a discussão na quarta-feira na comissão de Orçamento do diploma sobre serviços mínimos das contas bancárias, no qual os comunistas dizem que a maioria está tentar introduzir legalidade retroativa para a atribuição dos benefícios fiscais.

"O PCP já tinha denunciado esta questão em dois momentos, na comissão inquérito no BES, por outro lado, no último debate quinzenal, em que o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, confrontou o primeiro-ministro, que recusou qualquer perspetiva de ilegalidade ou de benefício concedido ao Novo Banco", afirmou João Oliveira.

O presidente da bancada do PCP sustentou que "o estatuto dos benefícios fiscais foi a primeira justificação que o Governo encontrou para a atribuição de benefícios fiscais ao Novo Banco, com um despacho de um secretário de Estado".

Segundo João Oliveira, "o Governo percebeu entretanto que o estatuto dos benefícios fiscais não permite atribuir às instituições de crédito estas isenções e, por isso, criou uma lei feita à medida, que alterava o regime geral das instituições de crédito e sociedades financeiras".

"Só que a lei chegou tarde porque os factos tributários a que se aplicava eram anteriores. O Governo está agora a procurar, a cavalo da lei dos serviços mínimos das contas bancárias, dar retroatividade a estas alterações ao regime geral de instituições de crédito para que possa ter cobertura legal o que fez ilegalmente ao atribuir estes 85 milhões de euros de benefícios fiscais ao Novo Banco", expôs.

Com Lusa
  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.