sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Quase duas centenas de lesados do BES protestam junto ao Conselho de Ministros

GALERIA DE FOTOS

Cerca de duas centenas de lesados do papel comercial do GES, comprado aos balcões do BES, manifestaram-se hoje junto da presidência do Conselho de Ministros, depois de terem protestado junto à sede do Novo Banco, em Lisboa. 

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

STEVEN GOVERNO/LUSA

"Estamos a protestar, mais uma vez, para denunciar a venda vergonhosa de papel comercial que foi feita à maioria dos clientes do BES [Banco Espírito Santo]", disse o presidente da Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial (AIEPC), Ricardo Ângelo, à agência Lusa.

A 3 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado 'banco mau' (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição que foi designado Novo Banco.

Desde essa altura que os lesados do BES têm vindo a manifestar-se por todo o país devido às perdas financeiras que sofreram.

"Não vamos parar com a nossa luta até vermos o nosso problema resolvido. Pensamos que com o novo comprador do banco esta situação poderá ser solucionada, pois, não é bom para a instituição que este problema se mantenha", adiantou Ricardo Ângelo.

O presidente da AIEPC explicou também à agência Lusa que é fundamental que os funcionários do Novo Banco "digam a verdade", pois "não nos venderam um produto de forma maldosa".

Os funcionários do BES venderam "um produto falseado e falido à partida" e durante cerca de seis meses "andaram a enganar-nos" e a dizer que "havia garantias do seu pagamento", salientou, adiantando que "mal eles [os funcionários] digam isso" os lesados deixam de se manifestar e responsabilizarão "quem verdadeiramente tem responsabilidades".

Segundo Ricardo Ângelo, quem tem responsabilidades "é verdadeiramente a fiscalização do sistema financeiro".

"Infelizmente foi vendido papel comercial aos clientes de retalho e fomos alvo de uma burla e de uma falha do sistema de regulação", esclareceu.

Na passada terça-feira, o Banco de Portugal (BdP) recebeu três propostas vinculativas para a aquisição do Novo Banco, indicando que vai avaliar as propostas "nas próximas semanas".

No início deste mês, o Financial Times escreveu que os favoritos a adquirir o Novo Banco são os chineses da Fosun ou da Anbang, os únicos que estão dispostos a pagar mais de 4,0 mil milhões de euros pela instituição financeira.

Para além dos chineses, segundo a imprensa, a americana Apollo está também na corrida à compra do Novo Banco.

 

Lusa

  • Lesados do GES protestam em Lisboa

    Queda do BES

    Dezenas de lesados pelo Grupo Espírito Santo estão hoje a manifestar-se de novo.  Esta manhã, o protesto concentrou-se na sede do Novo Banco, em Lisboa. A rua Barata Salgueiro, que faz esquina com a Avenida da Liberdade, chegou mesmo a estar cortada.

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21