sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Governo em desacordo com decisão do BdP de pôr dívida no "banco mau"

O Governo português terá estado contra a decisão do Banco de Portugal de impor perdas aos detentores de dívida sénior do Novo Banco, numa operação que permitiu recapitalizar a instituição, noticiou a agência financeira Bloomberg, citando duas fontes.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

De acordo com a notícia, o secretário de Estado do Tesouro, Ricardo Mourinho Félix, afirmou num encontro com investidores na segunda-feira que o Ministério das Finanças expressou preocupações quanto à decisão de passar as obrigações seniores, que na resolução do BES ficaram no Novo Banco, para o 'banco mau', disseram duas pessoas que estiveram presentes na reunião e que preferiram não ser identificadas.

Os fundos gestores de ativos Pacific Investment Management (Pimco) e BlackRock, os maiores detentores de dívida, estavam entre investidores presentes no evento que decorreu em Londres.

A 29 de dezembro, o Banco de Portugal (BdP) passou para o BES a responsabilidade pelas obrigações não subordinadas ou seniores por este emitidas e que foram destinadas a investidores institucionais (como fundos de investimento, fundos pensões ou seguradoras).

Com esta medida - que reverteu a que tinha sido tomada após a resolução do BES, quando o Banco de Portugal decidiu não imputar perdas aos credores seniores passando a dívida não subordinada do BES para o Novo Banco -, o Novo Banco foi recapitalizado em 1.985 milhões de euros, permitindo-lhe assim cumprir as exigências regulamentares.

Os obrigacionistas foram apanhados de surpresa por esta medida, que tem sido muito contestada.

A gestora de ativos norte-americana Pimco foi uma das que se manifestou, com o diretor-geral em Londres a dizer ao Expresso que ficou chocado com a decisão do BdP, acrescentado que não viu isto "nem na Grécia", sustentando que naquele país houve negociação com os corredores quando foi necessário converter dívida em ações para recapitalizar os bancos.

A Pimco, segundo a Bloomberg, poderá ter de assumir perdas de 228,6 milhões de euros. Já a Blackrock, a maior gestora de ativos do mundo, poderá ter perdas potenciais de 254,1 milhões de euros.

Ainda segundo disse o secretário de Estado aos investidores, o Governo não interferiu na decisão do BdP devido à independência dessa instituição.

Lusa

  • Vídeo 360º: nos céus de Lisboa como nunca esteve

    País

    Três Alpha Jet da Força Aérea Portuguesa estiveram presentes sobre o Jamor, durante a final da Taça entre o Benfica e o Vitória de Guimarães. A SIC e o Expresso acompanharam a passagem das aeronaves através da colocação de câmaras 360º no cockpit de duas delas.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Gelado de champanhe no centro de mais uma polémica que envolve Ivanka Trump 

    Mundo

    A filha do Presidente Donald Trump está envolvida em mais uma polémica depois de uma publicação da sua marca no Twitter durante o Memorial Day, assinalado esta segunda-feira. Feriado nacional nos Estados Unidos, criado após a Guerra Civil, a data presta homenagem aos militares americanos que morreram em combate. Um dia solene, no qual muitos acolheram mal a dica da marca da atual conselheira da Casa Branca: "Façam gelados de champanhe".

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.