sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Emigrantes lesados querem reunir-se com Presidente, Governo, CMVM e deputados

A Associação do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES divulgou hoje que solicitou reuniões com Presidência da República, Governo, CMVM e grupos parlamentares, para procurar conseguir o ressarcimento dos seus representados, no seguimento de um encontro em Paris.

FERNANDO VELUDO

Em comunicado enviado à agência Lusa, esta associação adiantou que "os emigrantes sentem-se injustiçados pela falta de apoio que têm sentido das entidades oficiais (...) e discriminados relativamente aos lesados do papel comercial, que já assinaram com o Governo um protocolo de intenções".

A decisão de solicitar aqueles encontros foi tomada em 2 de abril, na sequência de uma reunião da AMELP, na Câmara de Gentilly, na região de Paris, que juntou cerca de 300 emigrantes provenientes de França, Suíça e Alemanha.

No texto, distribuído pelo escritório de advogados Pereira de Almeida & Associados, criticou-se também as decisões do governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, "que se opõe a que o Novo Banco assuma as suas responsabilidades".

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.