sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Lesados do BES e autoridades voltam hoje a reunir-se para encontrar solução

As autoridades que estão a procurar uma solução para os lesados do papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES) têm hoje à tarde mais uma reunião, a terceira após a assinatura do memorando de entendimento.

Esta é a terceira reunião depois da assinatura do memorando de entendimentO, a 30 de março.

Esta é a terceira reunião depois da assinatura do memorando de entendimentO, a 30 de março.

MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

O encontro decorre na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), pelas 17:00, entre a Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial, o Banco de Portugal, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e o BES, o 'banco mau' que ficou com os chamados ativos 'tóxicos' do Ex-BES, contando com a mediação do Governo.

Esta é a terceira reunião depois da assinatura do memorando de entendimento, com a presença do primeiro-ministro, António Costa, em que estas entidades se comprometeram a encontrar uma solução que permita aos investidores que se sentem lesados poderem recuperar pelo menos parte do dinheiro investido em papel comercial de empresas do GES, vendido aos balcões do BES, e que foi dado como quase completamente perdido na queda do Grupo da família Espírito Santo, em 2014.

Em causa estão 2.084 subscritores de papel comercial que reclamam 432 milhões de euros.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.