sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Grupo de trabalho reúne-se para encontrar solução para lesados do BES

O grupo de trabalho que está a procurar uma solução para compensar os lesados do papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES) volta a reunir-se hoje de manhã em Lisboa.

Manifestação dos lesados do BES.Lisboa, fevereiro, 2016.

Manifestação dos lesados do BES.Lisboa, fevereiro, 2016.

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

Como habitualmente, o encontro vai juntar a Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial do GES, o Banco de Portugal, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, sob a mediação do Governo, e tem como objetivo dar mais um 'passo' numa solução que tente compensar os 2.084 clientes que dizem ter sido lesados pelo BES.

Estes investidores do retalho reclamam 432 milhões de euros investidos em papel comercial das empresas Espírito Santo International e Rioforte, do GES, que foi vendido aos balcões do banco BES. Esse dinheiro foi dado como praticamente perdido aquando da 'implosão' do grupo da família Espírito Santo, em 2014.

O Governo assumiu este caso como uma prioridade por considerar que está em jogo a reposição da confiança no sistema financeiro, e o primeiro-ministro fez questão de presidir em março à cerimónia de assinatura do memorando de entendimento em que as partes se comprometeram a encontrar uma solução até ao início de maio.

No final de abril, um comunicado divulgado à Lusa pelas partes envolvidas nas negociações referia que estava "muito perto" uma solução para este caso, mas que ainda precisava de "algum trabalho de concretização".

O jornal Sol noticiou no último fim de semana que a solução poderá passar pela criação de um veículo financeiro que comprará os créditos que os clientes lesados têm sobre as empresas do GES, sendo que será depois esse veículo que irá receber eventuais compensações decorrentes da massa falida das empresas insolventes. Deverá ainda assumir as ações em tribunal que os lesados puseram e receberá eventuais compensações que venham a ser decididas na Justiça.

A questão agora é saber como será o veículo financiado numa fase inicial, uma vez que terá de pagar aos clientes lesados para ficar com os seus créditos.

Falta também enquadrar juridicamente esta solução, de modo a que seja garantido que não há impedimentos legais à sua concretização.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.