sicnot

Perfil

Queda do BES

Salgado terá escondido parte da dívida do Grupo Espírito Santo

Salgado terá escondido parte da dívida do Grupo Espírito Santo

Ricardo Salgado foi condenado pelo Banco de Portugal a pagar 4 milhões de euros e não vai poder voltar ao setor financeiro durante 10 anos. O Expresso deste sábado revela as conclusões do processo de contra-ordenação, que descobriu os culpados pela ocultação da dívida do grupo. Salgado, líder do império Espírito Santo, é responsável por cinco ilegalidades: entre elas, gestão ruinosa e falsas informações. Salgado terá dado ordens, desde 2008, para esconder parte da dívida do Grupo Espírito Santo. O Banco de Portugal concluiu que foi Ricardo Salgado quem mandou vender dívida da ESI nos balcões do BES.

  • Ricardo Salgado condenado por gestão ruinosa e falsas informações
    1:57

    Queda do BES

    Ricardo Salgado foi condenado pelo Banco de Portugal a pagar 4 milhões de euros e fica ainda inibido de voltar ao setor financeiro durante 10 anos. O Expresso de amanhã revela todos os pormenores do processo de contraordenação, que descobriu os culpados pela ocultação da dívida do Grupo Espírito Santo. Salgado, líder do império Espírito Santo, é responsável por cinco ilegalidades: práticas de atos de gestão ruinosa com dolo, prestação de informações falsas, violação das regras sobre conflitos de interesses, por não ter avançado com um sistema de gestão de risco sólido e eficaz com dolo e, ainda por não ter implementado um sistema de informação com dolo.

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28