sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

BCP e Santander fora da corrida ao Novo Banco

O BCP e Santander estão fora da corrida ao Novo Banco. O prazo para apresentação das propostas terminou às 17:00. O Banco de Portugal disse que recebeu quatro propostas para a compra do Novo Banco, sem revelar o nome das entidades interessadas.

© Rafael Marchante / Reuters

"O Banco de Portugal recebeu quatro propostas de aquisição, cuja análise agora se inicia à luz dos critérios de admissibilidade e seleção estabelecidos no caderno de encargos, divulgado no passado mês de abril", lê-se na nota à imprensa do regulador e supervisor bancário.

Os interessados em adquirir o Novo Banco - o banco de transição que ficou com os ativos e passivos considerados não problemáticos do BES - tinham até hoje para apresentar propostas.

Segundo a imprensa, foram seis as entidades interessadas que pediram acesso à informação financeira confidencial, sendo esses os bancos BCP, Santander, BPI e os fundos Apollo, Centerbridge e Lonestar.

A Lusa confirmou hoje à tarde a informação avançada na comunicação social de que nem BCP nem Santander apresentaram propostas.

O Banco de Portugal tem como objetivo concretizar a venda do Novo Banco este verão, depois de o processo ter sido suspenso em setembro do ano passado, sendo que o prazo para fazer a alienação ainda se prolonga até agosto de 2017.

Caso não seja vendido, a hipótese de o Novo Banco integrar a esfera pública está em cima da mesa, dando tempo à instituição para se reestruturar a mais longo prazo antes de um novo processo de alienação.

O Novo Banco é presidido por Eduardo Stock da Cunha, que deverá sair da instituição ainda em julho para regressar ao britânico Lloyds Bank, do qual é trabalhador.

Com Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.