sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Dois anos depois do resgate Novo Banco acumula prejuízos de 1.800 M€

© Hugo Correia / Reuters

O BES foi resgatado há precisamente dois anos, dia em que foi criado o Novo Banco para ficar com ativos considerados menos problemáticos, mas que já acumula prejuízos superiores a 1.800 milhões de euros e continua por vender.

Na noite de 03 de agosto de 2014, o Banco de Portugal anunciou a aplicação ao Banco Espírito Santo (BES) de uma medida de resolução.

A descoberta de fraudes, os prejuízos do BES de 3,6 mil milhões de euros, no primeiro semestre de 2014, os maiores da história da banca em Portugal, e o incumprimento de regras exigidas pelos reguladores e supervisores para operar no setor bancário levaram ao fim da instituição centenária fundada pela família Espírito Santo, considerada a última dinastia de banqueiros em Portugal.

Então, o banco central dividiu o BES em duas entidades, o 'banco mau', que ficou com os ativos tóxicos e que está em processo de liquidação, e o banco de transição Novo Banco, que foi capitalizado com 4,9 mil milhões de euros através do Fundo de Resolução Bancária e que ficou com os ativos e passivos considerados menos problemáticos.

Desde então, apesar de o Novo Banco ter nascido como o 'banco bom' a sua vida tem sido difícil.

Os prejuízos já totalizam mais de 1.800 milhões de euros nestes dois anos, isto somando os 467,9 milhões de euros tidos entre 4 de agosto de 2014 e 31 de dezembro de 2014, os 980,6 milhões de euros negativos de 2015 e os prejuízos de 362,6 milhões de euros anunciados este fim de semana e que são referentes ao período entre janeiro e junho deste ano.

A gestão do banco também sido alvo de sucessivas mudanças. Aquando do resgate ao BES, já Vítor Bento (ex-líder da SIBS, entidade que gere o Multibanco) tinha sucedido ao líder histórico, Ricardo Salgado em julho de 2014, referindo o "dever patriótico" de aceitar esse cargo, e seria ele o primeiro presidente do Novo Banco.

No entanto, sem estratégia de gestão definida, logo em setembro de 2014 Vítor Bento demite-se, em desacordo com a visão do Banco de Portugal sobre o banco, defendendo um processo de reestruturação a mais longo prazo antes de o Novo Banco ser posto à venda.

A presidência da instituição viria a ser ocupada então por Eduardo Stock da Cunha, gestor bancário com longa experiência no Santander e que, desde 2013, era funcionário do banco britânico Lloyds Bank, tendo pedido licença para gerir o Novo Banco até julho de 2016.

Entretanto, foi escolhido António Ramalho para suceder a Stock da Cunha, o terceiro presidente do Novo Banco nestes dois anos, tendo o Banco de Portugal dado a indicação que ia tomar posse a 01 de agosto. No entanto, soube-se entretanto que não entrou em funções porque ainda aguarda a aprovação final do Banco Central Europeu. Confrontado com esta informação, o Banco de Portugal não comenta a informação.

O Novo Banco está entretanto no segundo processo de venda, depois de o primeiro processo ter sido suspenso em setembro passado, com o Banco de Portugal a considerar que nenhuma proposta era interessante.

De momento foram quatro as propostas recebidas - dos bancos BCP e BPI e dos fundos Apollo/Centerbridge e Lone Star, tendo o processo de estar concluído no máximo até agosto de 2017.

Os analistas que seguem o sistema bancário têm dito que o mais provável é que a venda do Novo Banco seja feita bem abaixo dos 4,9 mil milhões de euros que foram injetados na instituição, colocando pressão sobre o resto do sistema bancário, que poderá ter de arcar com os custos.

O futuro do Novo Banco, que está em processo de reestruturação, tendo saído mais de mil trabalhadores da instituição só nos últimos 12 meses, é uma incógnita, tendo o Governo dito em julho, numa carta para a Comissão Europeia, que não iria injetar mais dinheiro e que se o banco não for vendido será liquidado.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59