sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Finanças dizem que solução para lesados do BES não pode ter impacto no défice

Reuters

As Finanças disseram esta quinta-feira que a solução que for encontrada para os lesados do papel comercial do Grupo Espírito Santo não pode ter impacto no défice orçamental e que está por definir o mecanismo que poderá minimizar as perdas sofridas.

"Houve progressos e terão lugar novas reuniões em breve. Estamos a trabalhar numa solução que não tenha impacto no défice", disse fonte oficial do Ministério das Finanças à Lusa.

A informação das Finanças é, assim, mais cautelosa do que a hoje anunciada pelo presidente da Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial (AIEPC), que disse que o Governo deu 'luz verde' à solução que permitirá devolver parte do dinheiro perdido por aqueles clientes, após a reunião desta manhã entre representantes da associação, da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), do Banco de Portugal e do Governo.

Durante a reunião, que começou às 10:00 e terminou pelas 12:30, cerca de 40 clientes lesados que compraram papel comercial aos balcões do BES, poucos meses antes da queda do banco e do grupo, em agosto de 2014, concentraram-se junto às instalações do Banco de Portugal, aguardando o desfecho do encontro.

No final, Ricardo Ângelo disse aos jornalistas e aos lesados que o esperavam na rua que é certo que haverá uma solução - referindo que depois de hoje "já não há volta atrás" - mas também avisou que este é um processo complexo, uma vez que passa pela constituição de um fundo de indemnizações e pela criação de condições para esse fundo ficar com os créditos judiciais dos clientes lesados, reembolsando parcialmente o dinheiro perdido.

Cerca de 2.000 clientes de retalho reclamam os 432 milhões de euros que investiram em papel comercial das empresas Espírito Santo International e Rioforte, do Grupo Espírito Santo (GES), vendidos aos balcões do BES meses antes da falência do grupo.

No início do ano, o primeiro-ministro, António Costa, empenhou-se pessoalmente neste processo por considerar que a resolução deste problema é fundamental para a estabilidade do sistema financeiro e colocou o advogado Diogo Lacerda Machado como negociador em nome do Governo.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.