sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Emigrantes lesados dos BES vão propor ao Novo Banco mediação pela CMVM

(Arquivo)

FERNANDO VELUDO/ LUSA (Arquivo)

Os emigrantes lesados do Banco Espírito Santo (BES) vão, até ao final deste mês, propor ao Novo Banco que resolva o conflito através da mediação pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O anúncio foi feito pelo presidente da Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP), Luís Marques, durante o protesto desta manhã em frente à sede do Novo Banco, em Lisboa.

"A arbitragem vai ser proposta até ao fim do mês", afirmou Luís Marques, adiantando que este é um novo mecanismo que a CMVM disponibiliza para mediação de conflitos.

A CMVM publicou em julho um regulamento com as regras da mediação de conflitos entre investidores não institucionais e as entidades que supervisiona.

O caso dos clientes que se sentem lesados em bancos recentemente alvo de resolução, como os que esta sexta-feira protestam, pode enquadrar-se num procedimento de mediação multilateral.

Dezenas de emigrantes lesados do BES estão desde as 11:30 concentrados em frente à sede do Novo Banco, na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

Depois da concentração junto à sede do Novo Banco, os emigrantes lesados irão marchar até ao Banco de Portugal, na Rua do Comércio.

Os emigrantes lesados que esta sexta-feira se estão a manifestar não aceitam a solução comercial proposta pelo Novo Banco que foi aceite, contudo, por 6.000 clientes emigrantes, que tinham investido cerca de 500 milhões de euros em produtos de poupança.

Estes clientes não aceitaram a proposta do Novo Banco por considerarem que não era justa e não se adequava ao seu perfil, uma vez que implicava a subscrição de obrigações de longa duração do Novo Banco e em que os depósitos a prazo estarão condicionados ao valor dessas obrigações.

A AMELP é constituída por mais de 400 associados, sobretudo trabalhadores emigrantes portugueses, e já protagonizou vários protestos em Paris e em cidades portuguesas, com o objetivo de reaver as poupanças dos emigrantes.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC