sicnot

Perfil

Queda do BES

Queda do BES

Queda do BES

Sócrates diz que houve "cobardia política" na resolução do BES

PAULO NOVAIS

O antigo primeiro-ministro José Sócrates considerou este sábado em Coimbra que o anterior Governo, ao entregar a resolução do BES ao Banco de Portugal, mostrou "cobardia política".

A decisão do anterior Governo liderado por Passos Coelho não ter discutido a resolução do BES no Conselho de Ministros e remeter o assunto para o Banco de Portugal mostra "um misto não apenas de ideológico, mas também alguma coisa que tem a ver com cobardia política", afirmou este sábado José Sócrates.

O antigo primeiro-ministro falava do tema após ter sido questionado por um dos membros da plateia que assistia ao painel "Haverá uma política apartidária?", integrado no primeiro Encontro Nacional de Estudantes de Sociologia, que decorre na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

"Houve um banco que faliu na minha gestão, mas foi decidido por políticos. Peguei numa 'leizinha' e levei à Assembleia da República", propondo a nacionalização do BPN, explicou.

José Sócrates recordou que foi "muito criticado" por nacionalizar o BPN, mas que, enquanto "outros fingiram que não mexeram", o seu Governo não entregou ao Banco de Portugal a resolução.

O também antigo líder socialista sublinhou que a resolução de um banco é "das decisões mais graves, mais importantes".

"Era difícil, mas era preciso decidir por quem nós escolhemos, o Governo não o Banco de Portugal", concluiu.

Numa entrevista ao jornal Público, publicada na segunda-feira, a líder do CDS-PP e ex-ministra da Agricultura do Governo PSD/CDS-PP admitiu que o "assunto BES" nunca foi discutido "em profundidade em Conselho de Ministros".

"Nunca os temas da banca foram discutidos em profundidade em Conselho de Ministros", referiu Assunção Cristas, que recordou também que estava de férias quando foi aprovado o decreto-lei da resolução do BES.

Lusa

  • BES foi "forçado a desaparecer"
    3:00

    Queda do BES

    Ricardo Salgado falou sobre as responsabilidades do governador do Banco de Portugal na queda do BES, dizendo que a eventual saída de Carlos Costa é uma decisão política. Na reacção à reportagem da SIC "Assalto ao Castelo", Salgado reafirmou que o governador nunca lhe pediu para abandonar o banco. O ex-presidente do BES diz que o banco foi forçado a desaparecer, lamenta o prejuízo dos lesados, mas recusa pedir desculpa.

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.