sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Varoufakis afirma que a sua presença no Eurogrupo irrita parceiros

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, afirmou que a sua presença no Eurogrupo irrita muitos dos parceiros que estavam habituados ao comportamento dos ministros anteriores, que aceitavam tudo o que lhes era imposto.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"Muitos dos nossos parceiros estavam habituados a ministros que faziam fila à entrada dos escritórios dos funcionários da 'troika' para ser recebidos, se o fossem, com o objetivo de pedir um par de coisas", afirmou numa entrevista concedida na última noite à cadeia privada Mega.    

 

Varoufakis sublinhou que terminou a época em que os ministros baixam a cabeça e cediam às imposições de Bruxelas.

 

"Estão habituados a que alguns digam: 'Esquece Yanis, Kostas, Kyriakos' e a que a quem se tinham dirigido esquecessem o que tinham dito antes. Isto acabou", sublinhou o ministro grego.

 

O titular das Finanças afirmou que o objetivo é chegar ao mês de junho com as negociações encaminhadas, mas sublinhou que o Banco Central Europeu continua a aplicar uma política asfixiante que não praticava no passado. 

 

Em relação à possibilidade de realizar um referendo sobre as negociações, como o ministro já avançou há uns dias numa entrevista ao jornal italiano Il Corriere della Sera, disse que a hipótese não está afastada.

 

"Não penso excluir o referendo. O acordo que alcançarmos será ratificado pelo parlamento, mas não seria má ideia convocar um referendo, mas eu não o anuncio", sublinhou.

 

Varoufakis afastou falar de um fracasso a meio das negociações, mas precisou que um mau final seria "um cenário de fracasso de toda a Europa".

 

Os representantes da Comissão Europeia, do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional começam hoje em Atenas as reuniões com os funcionários do Ministério das Finanças grego para compilar dados no âmbito das negociações que o Governo grego mantém com os parceiros europeus, segundo a imprensa local.

 

 Lusa

 

  • Varoufakis explica porque não falou com Maria Luís Albuquerque
    1:03

    Crise na Grécia

    No encontro do Eurogrupo, a ministra das Finanças portuguesa não falou com o homólogo grego, Yanis Varoufakis, mas o ministro do governo de Atenas diz que não há nenhum desentendimento com Maria Luís Albuquerque. Varoufakis disse que não falou com a ministra portuguesa porque Maria Luís Albuquerque foi sentar-se na outra ponta da sala. Uma resposta simples à última pergunta feita ao governante, na conferência de imprensa desta segunda-feira.

  • Ministra das Finanças diz que não há nada para esclarecer com Varoufakis
    0:19

    Economia

    A ministra das Finanças diz que não há nada para esclarecer com o homólogo grego. No final da reunião do Eurogrupo, esta segunda-feira, em Bruxelas, Maria Luís Albuquerque disse que não teve oportunidade de falar com Yanis Varoufakis. Este foi o primeiro encontro oficial entre os dois desde que o Governo grego acusou Portugal e Espanha de tentarem bloquear um acordo para o prolongamento da assistência financeira a Atenas.

  • Negociações técnicas entre a Grécia e a troika começam quarta-feira
    0:40

    Crise na Grécia

    A discussão sobre a situação da Grécia na reunião do Eurogrupo terá demorado apenas 30 minutos. Os ministros das Finanças ouviram as sete reformas propostas pelo Governo grego, e que foram apresentadas por Varoufakis, mas não tomaram qualquer decisão. A Grécia mostrou-se disponível para enviar propostas adicionais aos credores internacionais, nomeadamente sobre o combate à evasão fiscal. As reuniões técnicas entre a Grécia, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o FMI vão começar esta quarta-feira, em Bruxelas e Atenas. A decisão foi tomada na reunião do Eurogrupo, de onde sairam também as críticas do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dusselbloem, ao tempo que já se perdeu desde que foi alcançado um acordo.

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.