sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Primeiro-ministro grego visita Rússia a 8 de abril

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, vai visitar a Rússia a 8 de abril, um mês antes de uma outra visita já agendada para 9 de maio, informou fonte governamental grega.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"O primeiro-ministro visitará o Kremlin a 8 de abril a convite do Presidente russo, Vladimir Putin", anunciou o Governo de Atenas em comunicado.

Tsipras já tinha agendada uma visita a Moscovo a 9 de maio, para assistir às cerimónias de comemoração dos 70 anos da vitória dos Aliados sobre a Alemanha nazi.

Putin convidou Tsipras para as comemorações na conversa telefónica em que o felicitou pela vitória do Syriza nas eleições gregas de janeiro. 

Na altura, fontes governamentais indicaram que o objetivo dos dois dirigentes é reforçar a cooperação entre a Grécia e a Rússia, "dois países com relações profundas e históricas, especialmente nas áreas da economia, energia, turismo, cultura e transportes".

O ministro dos Negócios Estrangeiros grego, Nikos Kotzias, visitou Moscovo no princípio de fevereiro para se reunir com o homólogo russo, Serguei Lavrov.

Na ocasião, Kotzias afirmou que a Grécia pode desempenhar um "papel especial" como mediador nas relações entre a União Europeia (UE) e a Rússia e que se opõe a novas sanções económicas contra Moscovo pelo seu envolvimento no conflito na Ucrânia.

A aproximação entre os dois países provocou mal-estar entre os parceiros europeus da Grécia, apesar de Tsipras, nas visitas que fez a capitais europeias após assumir o cargo, ter afastado um pedido de financiamento a Moscovo e sublinhado que a sua intenção é negociar com os membros da UE.

Segundo a imprensa grega, o Governo de Atenas pretende negociar com Moscovo a exclusão dos produtos agroalimentares gregos do embargo imposto pela Rússia à UE como retaliação das sanções europeias.

O Governo de Tsipras negoceia atualmente com os representantes dos credores internacionais um programa de reformas que tem de aplicar como contrapartida de um prolongamento por quatro meses do programa de ajuda externa e o pagamento de uma prestação de 7,2 mil milhões de euros.

Fonte do Governo de Atenas anunciou hoje que Tsipras pediu ao presidente do conselho europeu, Donald Tusk, para organizar uma reunião especial com os líderes da Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE), Alemanha e França à margem da cimeira europeia de quinta e sexta-feira em Bruxelas.

O primeiro-ministro grego vai, por outro lado, reunir-se na segunda-feira em Berlim com a chanceler alemã, Angela Merkel.

Lusa

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC