sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Governo grego desmente que não vá pagar empréstimo ao FMI dentro do prazo

Um porta-voz do governo grego já desmentiu a notícia que dava conta que a Grécia podia não pagar parte do empréstimo ao FMI a horas.

O ministro grego das Finanças, Yannis Varoufakis.

O ministro grego das Finanças, Yannis Varoufakis.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

O ministro da Administração Interna do país tinha referido que, se não fluísse dinheiro até à data de vencimento do empréstimo, a Grécia não tinha como pagar os 450 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional e que a prioridade é o pagamento dos salários e pensões.

Essa informação foi desmentida pelo governo de Atenas.
  • Primeiro-ministro grego garante honestidade na negociação
    0:54

    Economia

    O primeiro-ministro grego garante que é com honestidade que a Grécia negoceia com os credores, mas não será a qualquer preço que fará um acordo incondicional em troca da ajuda financeira. Alex Tsipras disse ainda ontem no Parlamento de Atenas que é preciso reestruturar a dívida pública da Grécia.

  • "A Grécia não pode pensar que faz o que quer no seu território"
    7:56

    SIC Europa

    Em entrevista aos Europeus Carlos Coelho fala de terrorismo, liberdades e garantias, de imigração. E considera que a extrema-direita está no Parlamento Europeu para destruir o ideal europeu. Quanto à Grécia, é categórico: o país "não pode pensar que faz o que quer no seu território à conta dos outros"

  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.