sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Grupo de Trabalho do Eurogrupo reúne-se novamente amanhã sobre a Grécia

O novo pacote de medidas que o Governo de Atenas apresentou ao chamado Grupo de Bruxelas vai ser analisado na quarta-feira pelo Grupo de Trabalho do Eurogrupo, anunciou hoje a Comissão Europeia.

© Eric Vidal / Reuters

As negociações com Atenas têm decorrido nos últimos dias e a situação será analisada pelo Grupo de Trabalho do Eurogrupo na reunião marcada para esta quarta-feira, disse um porta-voz do executivo comunitário.

A nova lista de reformas proposta há uma semana pelo Governo grego aos credores e parceiros europeus prevê um significativo aumento das receitas, mas também inclui medidas que levarão a mais despesa, como o 13.º mês para as pensões mais baixas.

Atenas tem estado em negociações com o chamado Grupo de Bruxelas (Comissão Europeia, Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Mecanismo Europeu de Estabilidade) e garante ter verbas nos cofres públicos para pagar as despesas de abril, incluindo o reembolso de 450 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), até quinta-feira.

A nova lista com reformas fiscais, administrativas e de políticas tem o primeiro propósito de levar o Estado a aceder a financiamento no curto prazo que permita fazer face às obrigações imediatas, assim como criar as condições para que o BCE permita novamente que os bancos gregos usem dívida grega como garantia no acesso a financiamento.

O novo pacote, prevê o Governo grego, vai permitir aumentar receitas em 6,1 mil milhões de euros, contra os cerca de 3.000 milhões de euros previstos no documento anterior, mas também inclui despesas adicionais de 1,1 mil milhões. É ainda estimado terminar o ano com um excedente orçamental primário (sem juros da dívida) que pode atingir 3,9% do Produto Interno Bruto (PIB), acima da meta de 3% inscrita no programa de resgate.

O Grupo de Trabalho do Eurogrupo é composto por técnicos representantes dos Estados-membros da zona euro e tem como missão preparar as reuniões do fórum dos ministros das Finanças dos 19 países da moeda única, estando a próxima -- informal -- marcada para dia 24, em Riga.



Lusa
  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC