sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Governo grego rejeita ultimato da UEFA e da FIFA por causa de lei sobre Desporto

O vice-ministro grego dos Desportos, Stavros Kontonis, rejeitou esta quarta-feira o ultimato da UEFA e da FIFA, que ameaçaram banir as equipas gregas das competições internacionais se o parlamento helénico aplicar a nova legislação sobre o Desporto.

A UEFA e a FIFA acusaram as autoridades gregas de intromissão no futebol com o novo projeto-lei destinado a combater a violência no desporto e de violação das prerrogativas da Federação Grega de Futebol. (Arquivo)

A UEFA e a FIFA acusaram as autoridades gregas de intromissão no futebol com o novo projeto-lei destinado a combater a violência no desporto e de violação das prerrogativas da Federação Grega de Futebol. (Arquivo)

© Laszlo Balogh / Reuters

"Não vamos mudar a filosofia da lei em relação ao desporto. A supervisão da UEFA e da FIFA sobre o futebol grego falhou", advertiu Kontonis em declarações ao canal de televisão grego Mega, em resposta a um faxe hoje enviado à Federação helénica pelas duas instituições que regem o futebol europeu e mundial. 

A UEFA e a FIFA acusaram as autoridades gregas de intromissão no futebol com o novo projeto-lei destinado a combater a violência no desporto e de violação das prerrogativas da Federação Grega de Futebol.

"Se a lei for aprovada tal como está proposta, não teremos outra escolha a não ser levar este caso à atenção dos serviços competentes da FIFA e UEFA para sanções imediatas, incluindo a suspensão da Federação grega de futebol", pode ler-se na carta assinada pelos secretários-gerais da FIFA, Jérôme Valcke, e da UEFA, Gianni Infantino. 

Nessa carta conjunta, as duas instituições fazem saber que tal suspensão significaria que nenhuma equipa ou clube gregos poderiam participar nas competições organizadas pela FIFA e pela UEFA.

O Governo grego apresentou em fim do março um projeto-lei no parlamento para combater severamente a violência no desporto.

Com a nova lei, as autoridades gregas podem impor multas que variam entre 10 mil e 25 milhões de euros para responsáveis por incidentes violentos, pedir o adiamento ou cancelamento de eventos desportivos e interditar das competições europeias os clubes prevaricadores.

O projeto-lei também prevê um melhor enquadramento para emissão de bilhetes e penalidades para os órgãos de comunicação social que incitem à violência.

Kontonis revelou que irá ter uma reunião com representantes da FIFA e da UEFA no final do mês para chegar a um acordo, mas sublinhou que "não aceita ultimatos".

O vice-ministro dos Desportos disse ainda que, não obstante os inconvenientes que decorrem das divergências com a UEFA e a FIFA, o Governo irá criar as condições para manter sob controlo todos os aspetos que envolvem o desporto na Grécia. A lei deve ser aprovada no início de maio.

Lusa
  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.