sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Impasse grego na Cimeira Europeia em Riga

Impasse grego na Cimeira Europeia em Riga

Mais uma cimeira europeia em que a Grécia volta a estar no centro das atenções. O futuro do país discute-se em Riga, na Letónia. O primeiro-ministro português lamenta a ausência de sinais em relação a um entendimento. Já Durão Barroso considera que a saída da Grécia do euro está mais próxima do que em 2011.

  • Merkel avisa que Grécia vai ter de continuar a negociar com Comissão, FMI e BCE
    0:36

    Crise na Grécia

    A chanceler alemã, Angela Merkel, diz que a conversa que teve ontem com o primeiro-ministro grego foi construtiva, mas alerta que a Grécia vai ter de continuar a negociar com as três instituições: a Comissão Europeia, o Fundo Monetário Internacional e o BCE. O Governo grego tinha a esperança de que o encontro com Merkel e Hollande, à margem da cimeira da Riga, pudesse desbloquear o impasse, mas a chanceler alemã terá mostrado que a posição dos credores não mudou e que a Grécia precisa de se comprometer com as reformas, incluindo a do mercado laboral e do IVA, se quer receber os 7,2 mil milhões de euros que restam do resgate.

  • Passos lamenta que ainda não haja acordo entre a Grécia e os credores
    1:58

    Economia

    A Grécia domina as atenções na Cimeira Europeia que se realiza na Letónia e onde está o primeiro-ministro português. Pedro Passos Coelho disse lamentar que não haja sinais de que o entendimento entre a Grécia e os credores "esteja próximo de ser alcançado". Em Riga, Passos disse, no entanto, esperar que o acordo possa ser alcançado e alertou para a escassez do tempo.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05