sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Atenas e credores têm de chegar a acordo até "30 de junho"

A data limite para alcançar um acordo entre Atenas e os credores internacionais é "30 de junho, no momento em que termina o prolongamento do plano de ajuda", indicou hoje o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis.     

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"Nos termos do acordo de 20 de fevereiro entre Atenas e os credores, o plano de ajuda ao país prolongou-se até 30 de junho, por isso é até esta data que é necessário alcançar um acordo", declarou o ministro à rádio grega VimaFM. 

Yanis Varoufakis também assegurou que o acordo seria concluído "rapidamente". 

"Estamos perto de concluir as negociações, haverá um acordo rapidamente", defendeu, sublinhando que todas as partes chegaram a consenso "sobre a maioria das questões". 

Mesmo assim, Varoufakis acusou de novo os credores de insistirem na política de austeridade que considerou ser "desastrosa para a economia grega" e para a Europa. 

Segundo o ministro, este acordo vai incluir reformas "sobre o emprego, a Segurança Social e a dívida pública", que pesa sempre nas finanças públicas gregas. 

O Governo grego mostrou-se confiante nos últimos dias num acordo com os credores até domingo, mas a Comissão Europeia (CE) mostrou-se menos otimista na quinta-feira. 

"Nós ainda não alcançamos (um acordo), há questões em aberto para resolver", afirmou Annika Breidthardt, a porta-voz da CE encarregada dos Assuntos Económicos, adiantando que "novos progressos devem ser feitos". 

Por outro lado, o Governo grego assegurou também na quinta-feira que o acordo há tanto tempo esperado entre a Grécia e os credores sobre o futuro financeiro do país deverá estar acabado até domingo. 

"Estamos a trabalhar para concluir um acordo muito rapidamente, até domingo", afirmou na quinta-feira o porta-voz do Governo de Atenas, Gabriel Sakellaridis.

O 'dossier' da Grécia também foi analisado na reunião dos ministros das Finanças e governadores dos bancos centrais do G7 em Dresden, na Alemanha, cujos trabalhos terminam hoje. 

Na quinta-feira, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou que a saída da Grécia da zona euro era "uma possibilidade". 

Posteriormente, o FMI tentou suavizar as declarações de Lagarde, já que todas as partes envolvidas comprometeram-se até agora a não alimentar especulações de um "Grexit" (saída da Grécia da zona euro).



Lusa
  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07