sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Atenas tem fundos para pagar ao FMI, mas Governo ainda não deu ordem

A Grécia dispõe de fundos suficientes para fazer frente na próxima sexta-feira ao pagamento de 305 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), mas o Governo grego ainda não deu a ordem para transferir o dinheiro. 

© Murad Sezer / Reuters

Segundo fontes da Agência de Gestão da Dívida Pública grega (PDMA, nas siglas em inglês), citadas pela EFE, tanto o dinheiro de quinta-feira como a parcela de 335 milhões de euros que vence a 12 de junho, estão disponíveis, mas a decisão de fazer ou não os pagamentos "é política".        

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, deixou entrever em Bruxelas que a Grécia efetuaria o pagamento. 

Questionado sobre se a Grécia poderia fazer frente ao pagamento ao FMI na sexta-feira, Tsipras respondeu: "Não se preocupem com isso. Já pagámos 7.500 milhões" de euros para cumprir com obrigações financeiras. 

Contudo, o facto de na reunião realizada na quarta-feira com o presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, não ter saído um acordo deixa aberta a incerteza sobre o pagamento, pois dias antes diversos dirigentes do Syriza tinham assegurado que o pagamento só seria feito em caso de haver pelo menos uma perspetiva de acordo. 

 O porta-voz do grupo parlamentar, Nikos Filis, sublinhou de novo na quarta-feira que não poderá haver pagamento sem uma "perspetiva" de um acordo nas próximas sexta-feira ou segunda-feira. 

Segundo indicam hoje vários meios locais, Tsipras prevê celebrar na sexta-feira uma nova reunião com Juncker e com o presidente do Eurogrupo, Geroen Dijsselbloem, numa nova tentativa de desbloquear o resgate de 7.200 milhões, sem o qual a médio prazo a Grécia não poderá continuar a cumprir os seus compromissos internacionais. 

No total, a Grécia deve pagar em junho 1.600 milhões de euros ao FMI: a primeira parcela na sexta-feira, a segunda no dia 12 de junho, a terceira a 16 de junho e a última a 19 de junho. 

A estes pagamentos ao FMI, juntam-se 2.800 milhões de euros de gastos correntes mensais, dos quais cerca de 680 milhões de euros deverão ser pagos em salários a funcionários a 12 de junho. 

Depois da reunião de quarta-feira, Tsipras sublinhou que nos termos apresentados pelos sócios não existia base suficiente para chegar a um acordo, mas mostrou-se otimista em relação à conclusão de um compromisso nos próximos dias. 


Lusa
  • Nomeados para os Óscares são anunciados hoje

    Óscares 2017

    As nomeações para a 89ª. edição dos Óscares, os prémios da Academia norte-americana de cinema, são conhecidos esta terça-feira e pela primeira vez o anúncio será feito apenas via Internet. Para ver também aqui em direto, na SIC Notícias, a partir das 13:00.

    Aqui às 13:00

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • "Todo o mundo no voo estava a orar em voz alta"
    4:00
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.