sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Atenas tem fundos para pagar ao FMI, mas Governo ainda não deu ordem

A Grécia dispõe de fundos suficientes para fazer frente na próxima sexta-feira ao pagamento de 305 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), mas o Governo grego ainda não deu a ordem para transferir o dinheiro. 

© Murad Sezer / Reuters

Segundo fontes da Agência de Gestão da Dívida Pública grega (PDMA, nas siglas em inglês), citadas pela EFE, tanto o dinheiro de quinta-feira como a parcela de 335 milhões de euros que vence a 12 de junho, estão disponíveis, mas a decisão de fazer ou não os pagamentos "é política".        

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, deixou entrever em Bruxelas que a Grécia efetuaria o pagamento. 

Questionado sobre se a Grécia poderia fazer frente ao pagamento ao FMI na sexta-feira, Tsipras respondeu: "Não se preocupem com isso. Já pagámos 7.500 milhões" de euros para cumprir com obrigações financeiras. 

Contudo, o facto de na reunião realizada na quarta-feira com o presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, não ter saído um acordo deixa aberta a incerteza sobre o pagamento, pois dias antes diversos dirigentes do Syriza tinham assegurado que o pagamento só seria feito em caso de haver pelo menos uma perspetiva de acordo. 

 O porta-voz do grupo parlamentar, Nikos Filis, sublinhou de novo na quarta-feira que não poderá haver pagamento sem uma "perspetiva" de um acordo nas próximas sexta-feira ou segunda-feira. 

Segundo indicam hoje vários meios locais, Tsipras prevê celebrar na sexta-feira uma nova reunião com Juncker e com o presidente do Eurogrupo, Geroen Dijsselbloem, numa nova tentativa de desbloquear o resgate de 7.200 milhões, sem o qual a médio prazo a Grécia não poderá continuar a cumprir os seus compromissos internacionais. 

No total, a Grécia deve pagar em junho 1.600 milhões de euros ao FMI: a primeira parcela na sexta-feira, a segunda no dia 12 de junho, a terceira a 16 de junho e a última a 19 de junho. 

A estes pagamentos ao FMI, juntam-se 2.800 milhões de euros de gastos correntes mensais, dos quais cerca de 680 milhões de euros deverão ser pagos em salários a funcionários a 12 de junho. 

Depois da reunião de quarta-feira, Tsipras sublinhou que nos termos apresentados pelos sócios não existia base suficiente para chegar a um acordo, mas mostrou-se otimista em relação à conclusão de um compromisso nos próximos dias. 


Lusa
  • França e Rússia criam grupo de trabalho contra o terrorismo
    1:00

    Mundo

    França e Rússia vão criar um grupo de trabalho para lutar contra o terrorismo. A proposta partiu do Presidentre francês e foi anunciada por Vladimir Putin. Na conferência de imprensa conjunta, o Presidente russo explicou que ambos falaram também da Coreia do Norte.    

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00
  • Marcelo diz que Europa não deve contar com benevolência dos aliados 
    1:19

    País

    O Presidente da República concorda com Angela Merkel, que este domingo defendeu que a Europa já não pode confiar a 100% nos países aliados. Numa conferência sobre o futuro da Europa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a União Europeia tem de assumir responsabilidades e protagonismo e não pode contar com a iniciativa e a benevolência dos aliados.

  • Novos casos de tuberculose caíram para metade

    País

    Portugal reduziu para metade o número de novos casos de tuberculose entre 2000 e 2016, segundo um relatório hoje divulgado, que mostra que, no ano passado, a taxa de incidência da doença foi de 18 por 100 mil habitantes.

  • Julgamento de Pedro Dias só deve começar após as férias judiciais
    2:59

    País

    O Tribunal da Guarda vai juntar o homicídio de Liliane Pinto ao processo principal dos crimes de Aguiar da Beira. Pedro Dias será interrogado em julho, mas o julgamento só deve começar depois das férias judiciais. No interrogatório judicial de 10 de novembro do ano passado, Pedro Dias ficou em silêncio.

  • Angola confirma pela 1ª vez que José Eduardo dos Santos está em Espanha por motivos de saúde

    Mundo

    É a primeira vez que o governo de Luanda admite, oficialmente, que o Presidente José Eduardo dos Santos sentiu-se mal e está a receber assistência médica em Espanha. Com 74 anos, os últimos 38 como Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos tem feito visitas regulares a Barcelona para efetuar exames médicos, mas nem uma palavra sobre as suspeitas de que o Chefe de Estado angolano teria sofrido um AVC recentemente.

  • Merkel sugere que a Europa já não pode contar com aliados como os EUA
    1:45

    Mundo

    Depois das cimeiras do G7 e da NATO,e sem nunca mencionar Donald Trump, a chanceler alemã diz que é tempo de cada país tomar conta do próprio destino. As declarações de Angela Merkel foram feitas em Munique numa ação de campanha da CDU e evidenciam incómodo em relação às posições manifestadas pelos EUA.

  • Bombeiro alvejado durante assalto em Buenos Aires
    1:07

    Mundo

    A polícia argentina está a investigar o assalto e a agressão a tiro a um bombeiro em Buenos Aires. O homem de 30 anos foi atacado por três jovens, o momento foi captado pelas câmaras de videovigilância. As imagens mostram o exato momento em que o bombeiro foi atacado pelo grupo, perto de um quiosque de alimentação automático. De acordo com as informações disponíveis, a vítima terá sido alvejada seis vezes.