sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Tsipras diz que a Europa já não é o centro do mundo

Tsipras diz que a Europa já não é o centro do mundo

O primeiro-ministro grego está de visita à Rússia. Num discurso no Fórum Económico em São Petersburgo deixou críticas à atuação da União Europeia. Alexis Tsipras diz que Bruxelas deve voltar aos princípios da solidariedade e da justiça social.

"O mundo mudou depois da crise de 2008. Na Europa temos a ilusão de que somos o umbigo do mundo, cooperando apenas com os nossos vizinhos diretos. Mas o centro do mundo mudou de lugar, há novas forças a nível político e económico. As relações internacionais adquiriram um caráter multipolar", afirmou Tsipras, durante uma intervenção no Fórum Económico de São Petersburgo (Rússia).

O primeiro-ministro helénico sublinhou ainda que "a União Europeia deve regressar aos seus princípios de solidariedade e justiça social" e que o problema grego "não é um problema grego, e sim europeu".

O chefe do Governo grego classificou a política económica de "apertar o cinto", imposta por Berlim e Bruxelas, como "um caminho que não leva a lado nenhum".

"Estamos no meio de uma tempestade, mas somos um povo que sabe lidar com o mar e a tempestade não nos assusta, nem a possibilidade de descobrir novos oceanos e chegar a portos mais seguros", salientou o líder grego sobre as pressões exercidas sobre a Grécia e o seu Governo pelos parceiros europeus.

Tsipras, que definiu o seu país como "um amigo histórico da Rússia", também abordou a crise na Ucrânia e as sanções adotadas pela União Europeia contra a Rússia.

"A crise na Ucrânia abriu uma ferida no coração da Europa, uma ferida de instabilidade. É um mau sinal para as relações internacionais, porque iniciou na região processos que levam à guerra, à militarização e às sanções", frisou, apelando a um fim rápido das sanções.


Com Lusa
  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.