sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Varoufakis pede para não deixar cair acordo por quantidades "minúsculas"

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, não apresentou novas propostas na reunião de quinta-feira do Eurogrupo no Luxemburgo, mas instou os homólogos a não deixar o acordo fracassar por quantidades "minúsculas". 

© Francois Lenoir / Reuters

Segundo se depreende do texto da sua intervenção, que o próprio Varoufakis divulgou no seu blogue no âmbito da "transparência" e como "antídoto da propaganda", o ministro instou os seus colegas a não permitirem que o acordo fracasse pela "minúscula" diferença de cálculo de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) entre as previsões grega e dos parceiros.   

   

Como o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, em dias anteriores, Também Varoufakis voltou a insistir que o Governo grego está disposto a fazer uma reforma profunda do sistema de pensões, mas sublinhou que de forma alguma pode aplicar um corte de 1% do PIB a prestações que nos últimos anos sofreram cortes até 48%.  


O ministro reconheceu que na Grécia 16% do PIB é destinado ao pagamento de pensões, mas recordou que não é fruto de aumentos das prestações, mas sim da dramática queda do PIB nos últimos anos.  


Varoufakis pediu aos ministros da zona euro para deixarem de debater meios pontos percentuais ou de pedirem medidas com efeitos fiscais imediatos, mas para debaterem como se pode alcançar uma reforma "profunda, integral e permanente". 


Nesse contexto, o ministro propôs impor por lei um "travão automático" para a evolução do défice, cujo cumprimento seria vigiado semanalmente por um Conselho Fiscal independente e implicaria uma redução imediata dos gastos públicos em caso de descarrilamento do défice.  


Varoufakis voltou também a pedir uma racionalização do calendário de pagamentos da dívida e um programa de investimento para reativar a economia. 


O Eurogrupo acabou sem acordo e o presidente do Conselho Europeu, Donal Tusk, decidiu imediatamente convocar uma cimeira extraordinária para segunda-feira.  

 


Lusa

  • Grécia a trabalhar para que a reunião de segunda-feira seja um "sucesso"

    Crise na Grécia

    Uma saída da Grécia do euro marcará "o princípio do fim da zona euro", defendeu o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, numa entrevista publicada hoje pelo diário austríaco Kurier, em vésperas de uma cimeira extraordinária em Bruxelas. A Grécia está a trabalhar para que a reunião de emergência de segunda-feira seja um "sucesso", disse o Governo, após o impasse entre Atenas e os credores. 

  • "Talvez falemos de impasse na Grécia por mais um mês"
    3:11

    Economia

    A reunião do Eurogrupo voltou a terminar sem acordo com o Governo grego. Atenas diz que apresentou hoje propostas muito próximas das exigências dos credores, mas o presidente do Eurogrupo diz que a responsabilidade está do lado da Grécia. José Gomes Ferreira analisou o tema no Jornal da Noite, da SIC, e disse que "talvez falemos de impasse na Grécia por mais um mês".

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.