sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Varoufakis pede para não deixar cair acordo por quantidades "minúsculas"

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, não apresentou novas propostas na reunião de quinta-feira do Eurogrupo no Luxemburgo, mas instou os homólogos a não deixar o acordo fracassar por quantidades "minúsculas". 

© Francois Lenoir / Reuters

Segundo se depreende do texto da sua intervenção, que o próprio Varoufakis divulgou no seu blogue no âmbito da "transparência" e como "antídoto da propaganda", o ministro instou os seus colegas a não permitirem que o acordo fracasse pela "minúscula" diferença de cálculo de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) entre as previsões grega e dos parceiros.   

   

Como o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, em dias anteriores, Também Varoufakis voltou a insistir que o Governo grego está disposto a fazer uma reforma profunda do sistema de pensões, mas sublinhou que de forma alguma pode aplicar um corte de 1% do PIB a prestações que nos últimos anos sofreram cortes até 48%.  


O ministro reconheceu que na Grécia 16% do PIB é destinado ao pagamento de pensões, mas recordou que não é fruto de aumentos das prestações, mas sim da dramática queda do PIB nos últimos anos.  


Varoufakis pediu aos ministros da zona euro para deixarem de debater meios pontos percentuais ou de pedirem medidas com efeitos fiscais imediatos, mas para debaterem como se pode alcançar uma reforma "profunda, integral e permanente". 


Nesse contexto, o ministro propôs impor por lei um "travão automático" para a evolução do défice, cujo cumprimento seria vigiado semanalmente por um Conselho Fiscal independente e implicaria uma redução imediata dos gastos públicos em caso de descarrilamento do défice.  


Varoufakis voltou também a pedir uma racionalização do calendário de pagamentos da dívida e um programa de investimento para reativar a economia. 


O Eurogrupo acabou sem acordo e o presidente do Conselho Europeu, Donal Tusk, decidiu imediatamente convocar uma cimeira extraordinária para segunda-feira.  

 


Lusa

  • Grécia a trabalhar para que a reunião de segunda-feira seja um "sucesso"

    Crise na Grécia

    Uma saída da Grécia do euro marcará "o princípio do fim da zona euro", defendeu o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, numa entrevista publicada hoje pelo diário austríaco Kurier, em vésperas de uma cimeira extraordinária em Bruxelas. A Grécia está a trabalhar para que a reunião de emergência de segunda-feira seja um "sucesso", disse o Governo, após o impasse entre Atenas e os credores. 

  • "Talvez falemos de impasse na Grécia por mais um mês"
    3:11

    Economia

    A reunião do Eurogrupo voltou a terminar sem acordo com o Governo grego. Atenas diz que apresentou hoje propostas muito próximas das exigências dos credores, mas o presidente do Eurogrupo diz que a responsabilidade está do lado da Grécia. José Gomes Ferreira analisou o tema no Jornal da Noite, da SIC, e disse que "talvez falemos de impasse na Grécia por mais um mês".

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20