sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Mantém-se o impasse grego

O primeiro-ministro grego está hoje reunido com os dirigentes das entidades credoras da Grécia para alcançar um acordo antes do arranque da reunião do Eurogrupo, marcada para o meio-dia.  

© Yves Herman / Reuters

A reunião de ontem entre Alexis Tsipras e os presidentes da Comissão Europeia, Eurogrupo, e Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional, durou menos de duas horas. Os cinco concordaram em reiniciar o encontro esta manhã na esperança de conseguirem um acordo antes da reunião do Eurogrupo.

As negociações entre a Grécia e os credores vão dominar as atenções tanto do Eurogrupo como do Conselho Europeu, apesar de não constar da agenda da cimeira que junta os chefes de Estado e de Governo em Bruxelas.

A poucos dias de a Grécia ter de pagar 1,6 mil milhões de euros ao FMI e sem dinheiro para fazer face a esse compromisso se não conseguir um acordo com os União Europeia e Fundo Monetário Internacional, têm-se sucedido as reuniões para pôr fim ao impasse quanto às medidas a executar por Atenas que permitam fechar o atual programa de resgate e assim desbloquear a última 'tranche' de 7,2 mil milhões de euros.

Hoje, pelas 12:00 de Lisboa (13:00 locais), acontece em Bruxelas mais uma reunião do Eurogrupo, a quarta em sete dias, depois do encontro de emergência que juntou na quarta-feira à noite os ministros das Finanças da zona euro ter sido suspenso devido à falta de matéria para os ministros chegarem a um entendimento.

Após o almoço, pelas 14:00 (15:00 em Lisboa), também arranca na capital belga o Conselho Europeu e, apesar de a agenda oficial ser dominada pelo problema dos migrantes e o referendo britânico sobre a permanência na UE, os chefes de Estado e de Governo dos 28 não deixarão de discutir a Grécia e o risco de um incumprimento ('default') ou, em caso de um sinal positivo do Europgrupo, o desbloquear da situação que se arrasta há meses.


Com Lusa
  • Vem lá chuva

    País

    A chuva vai voltar a Portugal continental a partir de quarta-feira e pelo menos até domingo, enquanto as temperaturas mínimas deverão subir.