sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

EUA pedem aos credores que ponderem reestruturação da dívida grega

O secretário do Tesouro norte-americano, Jacob Lew, defendeu hoje que deve ser considerada "uma forma de reestruturação" da dívida grega e disse temer "um acidente" devido à demora nas negociações entre Atenas e os credores.

© Jonathan Ernst / Reuters

"A Grécia deve fazer ajustamentos dolorosos (...) e as instituições credoras da Grécia devem mostrar flexibilidade quanto aos objetivos e ao modo de os alcançar. É preciso uma discussão sobre uma forma de reestruturação de uma parte da dívida grega", declarou Lew no Yahoo News, na véspera de uma reunião crucial do Eurogrupo.

A Grécia e os credores internacionais - Fundo Monetário Internacional (FMI), Comissão Europeia e Banco Central Europeu - estão há meses em negociações para chegar a acordo quanto à continuação da assistência financeira ao país antes de terça-feira (dia 30) para evitar um possível incumprimento.

O FMI exige reformas a Atenas, mas admite uma reestruturação da dívida, alargando a maturidade das obrigações ou reduzindo as taxas de juro, enquanto os credores europeus têm recusado até agora assumir compromissos sobre esta matéria.

A dívida grega ronda atualmente 180% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

O secretário do Tesouro norte-americano mostrou-se também preocupado com a sucessão de rondas negociais em Bruxelas com ultimatos.

"Os riscos de um acidente aumentam quando há este tipo de situações e todos se pressionam antes de um prazo", afirmou, acrescentando que a economia mundial não precisa de um novo "choque".


Lusa
  • Alianças do PS marcam discursos no Congresso do PS
    2:51
  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.