sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras quer referendar acordo com credores internacionais

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou esta sexta-feira a convocação de um referendo para dia 5 de julho sobre se deve, ou não, ser aceite o acordo com os credores internacionais.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

Geert Vanden Wijngaert / AP

"A consulta será realizada a 5 de julho" e a questão será "sim" ou "não" para as últimas propostas dos credores, disse Tsipras já depois da meia-noite (na Grécia), numa mensagem televisiva e após uma reunião de emergência do Governo.

Tsipras revelou que os credores fizeram um ultimato à Grécia e que a resposta tem de ser baseada na vontade soberana do povo grego, tendo também confirmado que vai pedir a extensão, por mais alguns dias, do programa de resgate ao país.

A decisão surge depois de, já esta noite, o núcleo duro do Executivo ter estado reunido depois de mais um dia de impasse nas negociações com os credores.

Para sábado, em Bruxelas está prevista mais uma reunião do Eurogrupo para as 14:00 (13:00 de Lisboa).

Este novo encontro dos ministros das Finanças da zona euro - o quarto na mesma semana e o quinto em dez dias - tem como objetivo chegar a um acordo com a Grécia quanto às medidas a adotar pelo país e acontece a três dias do final do prazo para Atenas pagar cerca de 1,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Segundo fontes diplomáticas, se houver acordo e se o Parlamento grego passar as medidas no domingo ou na segunda-feira, serão desbloqueados imediatamente para a Grécia 1.800 milhões de euros de lucros que o Banco Central Europeu (BCE) fez com a dívida pública helénica, a tempo de Atenas pagar o dinheiro devido ao FMI, cujo prazo termina a 30 de junho, na terça-feira.

A proposta dos credores passa ainda por mais financiamento até novembro, mês até ao qual deverá ser estendido o atual programa de resgate.

No total, poderão ir para os cofres helénicos 15,5 mil milhões de euros nos próximos cinco meses, para fazer face às obrigações financeiras para com o FMI e o BCE, mas sendo a libertação desse dinheiro - que irá ser feita por tranches - sempre condicionada à execução das medidas eventualmente acordadas.

Com Lusa
  • Tsipras pressionado a aceitar acordo com credores
    1:05

    Crise na Grécia

    O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras deverá ir até ao último minuto para tentar incluir no acordo condições mais favoráveis, incluindo a questão da reestruturação da dívida. Um acordo é essencial para resolver o problema de liquidez da Grécia. Fontes europeias dão conta que um entendimento pode abrir a porta à devolução de mais de 1800 milhões de euros dos lucros que o eurosistema fez com a dívida grega, em 2014, o suficiente para que Atenas não falhe o pagamento ao FMI na próxima terça-feira.

  • Primeiro-ministro grego avisa que não aceita ultimatos
    2:25

    Crise na Grécia

    A poucas horas de mais um Eurogrupo, que pode ser decisivo para a Grécia, Tsipras avisa que não aceita ultimatos. Depois de se ter reunido com Angela Merkel e François Hollande, que o encorajaram a aceitar a última proposta dos credores, o primeiro-ministro grego diz que não cede a chantagens e que vai continuar a lutar pelos princípios democráticos e solidários que originaram a União Europeia.

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.