sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras quer referendar acordo com credores internacionais

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou esta sexta-feira a convocação de um referendo para dia 5 de julho sobre se deve, ou não, ser aceite o acordo com os credores internacionais.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

Geert Vanden Wijngaert / AP

"A consulta será realizada a 5 de julho" e a questão será "sim" ou "não" para as últimas propostas dos credores, disse Tsipras já depois da meia-noite (na Grécia), numa mensagem televisiva e após uma reunião de emergência do Governo.

Tsipras revelou que os credores fizeram um ultimato à Grécia e que a resposta tem de ser baseada na vontade soberana do povo grego, tendo também confirmado que vai pedir a extensão, por mais alguns dias, do programa de resgate ao país.

A decisão surge depois de, já esta noite, o núcleo duro do Executivo ter estado reunido depois de mais um dia de impasse nas negociações com os credores.

Para sábado, em Bruxelas está prevista mais uma reunião do Eurogrupo para as 14:00 (13:00 de Lisboa).

Este novo encontro dos ministros das Finanças da zona euro - o quarto na mesma semana e o quinto em dez dias - tem como objetivo chegar a um acordo com a Grécia quanto às medidas a adotar pelo país e acontece a três dias do final do prazo para Atenas pagar cerca de 1,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Segundo fontes diplomáticas, se houver acordo e se o Parlamento grego passar as medidas no domingo ou na segunda-feira, serão desbloqueados imediatamente para a Grécia 1.800 milhões de euros de lucros que o Banco Central Europeu (BCE) fez com a dívida pública helénica, a tempo de Atenas pagar o dinheiro devido ao FMI, cujo prazo termina a 30 de junho, na terça-feira.

A proposta dos credores passa ainda por mais financiamento até novembro, mês até ao qual deverá ser estendido o atual programa de resgate.

No total, poderão ir para os cofres helénicos 15,5 mil milhões de euros nos próximos cinco meses, para fazer face às obrigações financeiras para com o FMI e o BCE, mas sendo a libertação desse dinheiro - que irá ser feita por tranches - sempre condicionada à execução das medidas eventualmente acordadas.

Com Lusa
  • Tsipras pressionado a aceitar acordo com credores
    1:05

    Crise na Grécia

    O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras deverá ir até ao último minuto para tentar incluir no acordo condições mais favoráveis, incluindo a questão da reestruturação da dívida. Um acordo é essencial para resolver o problema de liquidez da Grécia. Fontes europeias dão conta que um entendimento pode abrir a porta à devolução de mais de 1800 milhões de euros dos lucros que o eurosistema fez com a dívida grega, em 2014, o suficiente para que Atenas não falhe o pagamento ao FMI na próxima terça-feira.

  • Primeiro-ministro grego avisa que não aceita ultimatos
    2:25

    Crise na Grécia

    A poucas horas de mais um Eurogrupo, que pode ser decisivo para a Grécia, Tsipras avisa que não aceita ultimatos. Depois de se ter reunido com Angela Merkel e François Hollande, que o encorajaram a aceitar a última proposta dos credores, o primeiro-ministro grego diz que não cede a chantagens e que vai continuar a lutar pelos princípios democráticos e solidários que originaram a União Europeia.

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • A história de um dos maiores fãs de Cristiano Ronaldo
    5:52

    Desporto

    Um dos maiores fãs de Cristiano Ronaldo não perdeu a oportunidade de se deslocar à Madeira, para conhecer o ídolo e o local onde Cristiano nasceu e cresceu. Lucas Mendes é brasileiro, tem apenas 23 anos e criou a página de fãs de Ronaldo mais seguida no Brasil.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.