sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Varoufakis diz que Atenas e credores têm o dever de chegar a acordo

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, considerou hoje à noite que a Grécia e os seus credores têm "o dever" de chegar a acordo no Eurogrupo, que se reúne no sábado, em Bruxelas. 

Geert Vanden Wijngaert

"Não há razão para que não haja acordo amanhã no Eurogrupo (que junta os ministros das Finanças da Zona Euro), temos o dever de encontrar uma solução", declarou Varoufakis, durante uma entrevista à cadeia de televisão Ant1, enquanto justificava a recusa grega da proposta dos credores durante a tarde de hoje. 

Sublinhou que a sugestão, feita por estes últimos, de entregarem 12 mil milhões de euros, em quatro prestações até ao final de novembro, "levaria a Grécia para mais quatro ou cinco meses de negociações diárias", situação que "significaria que toda a gente, empresários, consumidores, teria de esperar ainda por novembro ou dezembro". 

Ora, a economia grega já está muito enfraquecida pela incerteza que pesa sobre o futuro financeiro do país.

"Porquê deixar a grande questão do financiamento para o último minuto?", questionou, mas interrogando-se sobre a vontade real dos credores em chegar a acordo. 

"Nos últimos dias e nas últimas semanas, o governo grego fez concessões atrás de concessões. Infelizmente, de cada vez que atingíamos os três quartos ou quatro quintos do caminho, as instituições [Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional] iam no sentido inverso", acusou. 

"Elas endureciam as suas posições e exigiam coisas que só quem não quer um acordo pode exigir", considerou. 

Esta entrevista foi divulgada quando Varoufakis participava num conselho de ministros, com o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, que continuava cerca das 22:30 de Lisboa.

À sua chegada, o ministro da Saúde, Panagiotis Kouroublis, também estimara que ia haver um acordo. 

A reunião do Eurogrupo, considerada de última instância, vai começar em Bruxelas, no sábado, às 13:00 de Lisboa.

Um acordo é imperativo para que a Grécia seja capaz de reembolsar um empréstimo de 1,5 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional, em 30 de junho, e assim evitar uma situação de incumprimento. 

Lusa
  • Primeiro-ministro grego avisa que não aceita ultimatos
    2:25

    Crise na Grécia

    A poucas horas de mais um Eurogrupo, que pode ser decisivo para a Grécia, Tsipras avisa que não aceita ultimatos. Depois de se ter reunido com Angela Merkel e François Hollande, que o encorajaram a aceitar a última proposta dos credores, o primeiro-ministro grego diz que não cede a chantagens e que vai continuar a lutar pelos princípios democráticos e solidários que originaram a União Europeia.

  • Tsipras pressionado a aceitar acordo com credores
    1:05

    Crise na Grécia

    O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras deverá ir até ao último minuto para tentar incluir no acordo condições mais favoráveis, incluindo a questão da reestruturação da dívida. Um acordo é essencial para resolver o problema de liquidez da Grécia. Fontes europeias dão conta que um entendimento pode abrir a porta à devolução de mais de 1800 milhões de euros dos lucros que o eurosistema fez com a dívida grega, em 2014, o suficiente para que Atenas não falhe o pagamento ao FMI na próxima terça-feira.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.