sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Eurogrupo recusa prolongar programa grego além de 30 de junho

Os ministros das Finanças da zona euro rejeitaram hoje a extensão do programa de assistência financeira à Grécia além de 30 de junho, a próxima terça-feira. O Eurogrupo debate agora as consequências, sem a presença de Varoufakis.

OLIVIER HOSLET

A recusa, noticiada pela France Press, foi já confirmada pelo presidente do Eurogrupo em conferência de imprensa, após cerca de três horas de reunião em Bruxelas. Jeroen Dijsselbloem afirmou que o Eurogrupo teve que "concluir, "lamentavelmente, que o programa vai expirar na terça-feira à noite" e "isso é absolutamente claro neste momento".

O primeiro-ministro grego pediu o prolongamento do programa de ajuda por mais um mês, depois de Tsipras ter anunciado a decisão de convocar  um referendo sobre as propostas dos credores. 

Agora, os ministros das Finanças da zona euro estão de novo reunidos, mas "para discutir consequências" e "preparar passos que seja necessário dar", acrescentou Dijsselbloem, com o objetivo prioritário de "assegurar que a estabilidade da zona euro se mantém ao seu nível mais elevado". O ministro grego, Yanis Varoufakis, já não está presente.

O Eurogrupo foi surpreendido ontem à noite com o anúncio da realização de um referendo a 5 de julho, para que o povo grego decida se aceita, ou não, o acordo proposto pelos credores - Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Central Europeu (BCE). 

Desagradado, o Eurogrupo divulgou até um comunicado nesse sentido, uma nota que não foi assinada pelo ministro grego das Finanças.

O pedido da Grécia para estender o programa tinha como objetivo dar tempo de haver uma decisão do povo grego. 
  • "É um passo muito infeliz de tomar"
    1:08

    Crise na Grécia

    Em conferência de imprensa, o presidente da Eurogrupo confirmou a recusa da extensão do programa para lá de 30 de junho. Dijsselbloem foi claro, disse que a ajuda à Gécia termina na terça-feira à noite. Os gregos tinham pedido uma extensão para levar a cabo um referendo sobre o acordo com os credores, marcar para 5 de julho.

  • Gregos divididos sobre referendo
    1:39

    Crise na Grécia

    O governo grego vai convocar um referendo sobre o acordo proposto pelos credores. A consulta popular deverá acontecer no dia 5 de julho. Esta manhã, em Atenas, voltaram a formar-se filas para levantar dinheiro dos bancos.

  • Presidente do Eurogrupo diz que Grécia fechou porta a negociações
    1:20

    Crise na Grécia

    O presidente do Eurogrupo diz que está muito surpreendido com esta decisão do governo grego. À entrada para a reunião com os ministros das Finanças, que decorre esta tarde, Jeroen Dusselbloem considerou que a Grécia fechou a porta às negociações ao convocar um referendo. Por sua vez, a diretora do FMI, Christine Lagarde, garante que vai continuar a trabalhar para encontrar um consenso.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.