sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Filas no multibanco após o anúncio de referendo na Grécia

A convocação de um referendo sobre a aceitação, ou não, da proposta dos credores internacionais aumentou o clima de incerteza na Grécia e levou cidadãos a formarem filas para levantar dinheiro nas caixas multibanco.

© Eurokinissi . / Reuters

Imagens divulgadas nas agências estrangeiras e na rede social Twitter mostram filas de cidadãos em frente a caixas de multibanco, num ambiente calmo, ao início da madrugada de hoje. Em alguns comentários a situação é descrita como consequência do clima de incerteza vivido na Grécia, noutros é referido o facto de ser fim de semana e ser normal haver mais pessoas a levantar dinheiro. 

Os credores da Grécia propuseram a Atenas um pacote de 15,5 mil milhões de euros até ao fim de novembro, caso haja um acordo hoje, para fazer face às obrigações financeiras para com o FMI e o BCE, na reunião extraordinária do Eurogrupo, em Bruxelas, que tem início previsto esta tarde, pelas 14:00 (13:00 de Lisboa). 

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou na sexta-feira -- já depois da meia-noite (em Atenas), numa mensagem televisiva e após uma reunião de emergência do Governo -- a realização de um referendo na Grécia, para 05 de julho, sobre o texto que possa resultar das negociações no Eurogrupo e com os seus credores. 

Além da continuidade do clima de incerteza vivido na Grécia, o anúncio feito pelo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, também levou, nas primeiras horas de hoje alguns cidadãos a formarem filas em frente a caixas de multibanco, por receios de uma eventual imposição de medidas de controlo de capitais a partir de segunda-feira.

A formação de filas junto a caixas de multibanco nos subúrbios de Atenas é também referida no Finantial Times, que escreve que o anúncio assustou os gregos, já nervosos perante a incerteza que paira sobre o acordo de resgate. 

A corrida para levantar dinheiro na Grécia já foi reportada noutras ocasiões ao longo do impasse nas negociações entre a Grécia e os credores internacionais. 

Segundo uma reportagem da France 2 divulgada na semana passada, a 18 de junho foram levantados mil milhões de euros dos bancos gregos, elevando para três mil milhões de euros os levantamentos efetuados na mesma semana. 


Com Lusa
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC