sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Bancos gregos e bolsa de valores não vão abrir amanhã

Os bancos gregos vão mesmo estar fechados amanhã e podem ficar encerrados até dia 5 de julho, data do referendo, sobre o acordo com os credores, confirmou o primeiro-ministro grego. A bolsa de valores de Atenas também não vai abrir esta segunda-feira e a qualquer momento vão ser anunciadas medidas de controlo de capitais, como a imposição de limites aos levantamentos e transferências. 

© Yannis Behrakis / Reuters

A decisão saiu do Conselho de Estabilidade Financeira da Grécia, que esteve reunido esta tarde e que contou com a presença do ministro grego das Finanças, do governador do banco da Grécia, do presidente da associação de bancos e da bolsa de valores.

Em termos económicos, a situação pode piorar e muito. A quebra no turismo pode ser grande. Há já vários países a aconselharem os respetivos cidadãos a levarem dinheiro suficiente para a Grécia, uma vez que os bancos gregos podem não o disponibilizar. 

As medidas de controlo de capitais que podem vir a ser adoptadas na Grécia só foram ainda utilizadas uma vez, pelo Chipre. 
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.