sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Bancos gregos e bolsa de valores não vão abrir amanhã

Os bancos gregos vão mesmo estar fechados amanhã e podem ficar encerrados até dia 5 de julho, data do referendo, sobre o acordo com os credores, confirmou o primeiro-ministro grego. A bolsa de valores de Atenas também não vai abrir esta segunda-feira e a qualquer momento vão ser anunciadas medidas de controlo de capitais, como a imposição de limites aos levantamentos e transferências. 

© Yannis Behrakis / Reuters

A decisão saiu do Conselho de Estabilidade Financeira da Grécia, que esteve reunido esta tarde e que contou com a presença do ministro grego das Finanças, do governador do banco da Grécia, do presidente da associação de bancos e da bolsa de valores.

Em termos económicos, a situação pode piorar e muito. A quebra no turismo pode ser grande. Há já vários países a aconselharem os respetivos cidadãos a levarem dinheiro suficiente para a Grécia, uma vez que os bancos gregos podem não o disponibilizar. 

As medidas de controlo de capitais que podem vir a ser adoptadas na Grécia só foram ainda utilizadas uma vez, pelo Chipre. 
  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.