sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras diz que não vai "agarrar-se" ao cargo a qualquer custo

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, afirmou esta segunda-feira que não vai "agarrar-se" ao cargo a qualquer custo, assegurando que respeitará o resultado do referendo.

Questionado sobre se se vai demitir se o "sim" vencer, Tsipras afirmou não ser "um primeiro-ministro que se mantém no cargo faça chuva ou faça sol".

Questionado sobre se se vai demitir se o "sim" vencer, Tsipras afirmou não ser "um primeiro-ministro que se mantém no cargo faça chuva ou faça sol".

ALEXANDROS VLACHOS / Lusa

"Vamos respeitar a decisão" do povo grego, disse Tsipras numa entrevista à televisão grega ERT. 

O governo defende o "não" no referendo convocado para domingo sobre plano apresentado pelos credores para desbloquear ajuda financeira ao país.

Questionado sobre se se vai demitir se o "sim" vencer, Tsipras afirmou não ser "um primeiro-ministro que se mantém no cargo faça chuva ou faça sol".
Lusa
  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.