sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Grécia falhou prazo para pagar empréstimo ao FMI

A Grécia não reembolsou o Fundo Monetário Internacional (FMI) pelos cerca de 1,5 milhões de euros que lhe devia, no final do prazo que era hoje, informou hoje a instituição financeira, através de comunicado.   

ALEXANDROS VLACHOS

No texto adiantou-se que a Comissão Executiva do FMI foi informada de que a Grécia está em falta e que agora só pode receber novos empréstimos, depois de pagar o que deve.

Da declaração curta do FMI, assinada pelo seu diretor de comunicação, Gerry Rice, consta a confirmação do pedido feito pelas autoridades gregas de uma extensão do período do reembolso, que terminava hoje, que vai seguir para apreciação. 

Antes do prazo, porém, o vice-primeiro-ministro grego, Ioannis Dragasakis, anunciou, também hoje, na televisão pública grega ERT, que a Grécia tinha pedido ao FMI o adiamento do reembolso de cerca de 1,5 mil milhões de euros que devia ser pago até às 23:00 de hoje (hora de Lisboa).

"Entregámos um pedido ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para que tome a iniciativa de adiar o pagamento para o mês de novembro", disse Dragasakis.

O prazo para o pagamento está fixado nas 22:00 TMG (23:00 em Lisboa) de hoje.

Um adiamento permitiria à Grécia evitar entrar em incumprimento em relação à sua divida ao FMI, o que agravaria uma situação financeira que já é crítica.

Com este pedido, a Grécia utiliza uma disposição prevista na carta do FMI que permite "a pedido de um Estado membro" e sem votação "adiar" a data de um reembolso com um limite de 3 a 5 anos, que corresponde à duração dos seus empréstimos.

Esta disposição foi utilizada duas vezes na história do FMI, ambas em 1992, pela Nicarágua e pela Guiana, ex-Guiana Britânica.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC