sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Grécia apresenta contraproposta, Eurogrupo cético

A Grécia confirma que fez uma nova proposta com correções à que foi apresentada pelos credores. A edição online do Financial Times noticiou que o governo helénico estava disposto a ceder aos credores, exigindo no entanto, que sejam feitas pequenas alterações ao documento apresentado na sexta-feira passada. Mas a contraproposta parece não colher consenso no Eurogrupo. Merkel também já disse que não haverá negociações antes do referendo de domingo.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Alex Tsipras enviou uma carta aos digirigentes europeus, ainda ontem à noite, a dar conta da vontade de aceitar a proposta e das alterações que pretende. Entre estas contam-se a manutenção de uma redução do IVA para as ilhas gregas e de um complemento de pensão para os beneficiários mais ricos.

No entanto, o ministro das Finanças alemão já disse hoje que esta nova oferta do primeiro-ministro grego "não é suficientemente clara". Wolfgang Schaeuble acrescentou que "não há base" para negociações sérias com Atenas.

Também uma fonte do Eurogrupo citada pela Reuters adianta que a missiva de Tsipras contém elementos que alguns ministros consideram difíceis de aceitar.

A chanceler alemã, Angela Mekel, reiterou já que, antes do referendo de domingo, não haverá negociações sobre um terceiro resgate.

O novo pedido da Grécia será analisado esta tarde na reunião por teleconferência dos ministros das Finanças da zona euro. O Eurogrupo deveria acontecer esta manhã, mas foi adiado para as 16:30 (hora de Lisboa).

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • "O grupo parlamentar do PSD vai ser um instrumento de força para ajudar Rui Rio"
    16:00