sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Moody's corta notação da dívida grega

A agência de notação financeira Moody's cortou hoje a nota da dívida pública grega para Caa3, o que agravou o seu posicionamento em terreno especulativo.

A redução da nota em um escalão foi justificada com o argumento de agora é menos provável que os credores oficiais apoiem o país, independentemente do que aconteça no referendo de domingo.

A redução da nota em um escalão foi justificada com o argumento de agora é menos provável que os credores oficiais apoiem o país, independentemente do que aconteça no referendo de domingo.

Petros Giannakouris / AP

A redução da nota em um escalão foi justificada com o argumento de agora é menos provável que os credores oficiais apoiem o país, independentemente do que aconteça no referendo de domingo. 

Esta notação coloca o 'rating' da Grécia em apenas dois graus acima do estado de falência e ocorre depois do fim do programa de assistência financeira da União Europeia à Grécia, sem substituto, na terça-feira, e do não reembolso pela Grécia de um empréstimo do Fundo Monetário Internacional. 

Com o país e os credores a aguardarem agora pelo resultado do referendo sobre a aceitação de um programa de reformas proposto por estes, a Moody's afirmou que a votação "acrescenta mais um risco, mais agudo, para os credores privados". 

As agências Standard & Poor´s e Fitch tinham já agravado a notação financeira da Grécia.

Lusa

  • Tsipras pressionado a aceitar acordo com credores
    1:05

    Crise na Grécia

    O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras deverá ir até ao último minuto para tentar incluir no acordo condições mais favoráveis, incluindo a questão da reestruturação da dívida. Um acordo é essencial para resolver o problema de liquidez da Grécia. Fontes europeias dão conta que um entendimento pode abrir a porta à devolução de mais de 1800 milhões de euros dos lucros que o eurosistema fez com a dívida grega, em 2014, o suficiente para que Atenas não falhe o pagamento ao FMI na próxima terça-feira.

  • Manchester canta "Don't Look Back in Anger" dos Oasis
    1:11

    Ataque em Manchester

    O Reino Unido cumpriu esta manhã, às 11:00, um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do ataque de segunda-feira em Manchester. Nesta cidade britânica, uma mulher começou a cantar a canção dos Oasis "Don't Look Back in Anger" e a multidão logo se juntou, num momento tocante.

  • Mesquita é demasiado pequena para a quantidade de fiéis que há em Lisboa
    1:16
  • Herói de Paris não vai à Rússia
    2:12
  • A proposta indecente para que Zlatan fique no Man. United
    1:19

    Liga Europa

    Apesar de lesionado e de ter falhado a final da Liga Europa, Zlatan Ibrahimovic foi dos mais animados na hora dos festejos do Manchester United, esta quinta-feira. E o avançado sueco protagonizou ainda um momento caricato. Quando se apercebeu, o jogador fez questão de comentar com Ashley Young... e registar para a posteridade com uma fotografia perto de um cartaz de um adepto que lhe fez uma proposta indecente: "Zlatan, fica e podes 'comer' a minha mulher", lia-se na tarja.

  • Mourinho volta a conquistar a Europa

    Liga Europa

    O Manchester United conquistou esta quarta-feira a Liga Europa pela primeira vez. Este foi o quarto título europeu para Mourinho, depois das conquistas da Taça UEFA, em 2002/03, e da Liga dos Campeões, em 2003/04 e 2009/10.

  • Hoje é o dia internacional da criança desaparecida
    1:52

    País

    Assinala-se esta quinta-feira o dia internacional da criança desaparecida, numa altura em que foi conhecido um dado preocupante: há cada vez mais raptos parentais. O Instituto de Apoio à Criança recebe, por dia, 10 pedidos de ajuda.

  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36

    País

    O Presidente da República diz que a Europa precisa de paixão e defende que não é com tecnocracia que se mobilizam os cidadãos. No último dia da visita de Estado ao Luxemburgo e depois de ter feito um apelo à comunidade portuguesa para se recensear, alguns portugueses responderam à chamada.