sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Fundo Europeu declara Grécia oficialmente em incumprimento

O Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) da zona euro disse hoje que a Grécia está oficialmente em incumprimento, mas a declaração não terá consequências imediatas.             

© Marko Djurica / Reuters

O FEEF declarou, em comunicado, "um caso de incumprimento pela Grécia", mas adiantou que "foi decidido não pedir o reembolso imediato dos empréstimos nem recorrer ao direito a agir". 

O fundo da zona euro - que ajuda a apoiar os países da zona euro em dificuldades, é o detentor da dívida da Grécia aos países da zona euro no valor de 144,6 mil milhões de euros. 

O diretor do FEEF, Klaus Regling, afirmou que o fundo é "o maior credor da Grécia". 

"Este caso de incumprimento é causa de grande preocupação", referiu o responsável, adiantando que traduz a "falha do compromisso feito pela Grécia de honrar as suas obrigações financeiras perante todos os credores e abre a porta para consequências graves para a economia e para o povo gregos". 

"O FEEF vai coordenar de perto com os Estados-membros da zona euro, a Comissão Europeia e o Fundo Monetário Europeu ações futuras", disse. 

A Grécia pediu emprestado um total de 240 mil milhões de euros a várias instituições, incluindo o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Central Europeu (BCE) e Governos europeus. 

Desde 2012, quando o FEEF entrou no resgate à Grécia, foram concedidos 130,9 mil milhões de euros a Atenas.

Na terça-feira, noutro comunicado, a instituição liderada por Klaus Regling fez questão de sublinhar que as condições desses créditos são "de longe as mais favoráveis" já dadas a um país, com maturidades de 30 anos e sem a Grécia ter de pagar nem taxas de juro nem reembolsar a maior parte do empréstimo até 2023.

Essas condições, referia o fundo, permitiram a Atenas poupar mais de 16 mil milhões de euros só no conjunto dos anos 2013 e 2014.

Lusa

  • Debate sobre referendo domina todas as atenções na Grécia
    2:42

    Crise na Grécia

    Sim ou não. É a pergunta que continua à espera de resposta na Grécia e que será dada no próximo domingo. O debate está ao rubro, nas rádios, nas televisões, nas ruas. E não é certo que do referendo saia uma resposta clara. Anselmo Crespo e Rodrigo Lobo, enviados da SIC à Grécia, falaram com populares e entrevistaram o diretor da Rádio ERT.

  • Tsipras garante que tudo fará para encontrar uma solução para a crise
    1:43

    Crise na Grécia

    O primeiro-ministro da Grécia respondeu, esta noite, aos partidários do "sim" no referendo de domingo e também ao ministro das Finanças da Alemanha. Alexis Tsipras diz que não pode aceitar a visão de catástrofe que é sugerida se vencer o "não" às propostas dos credores. O líder do Governo grego garante que, logo a seguir ao referendo, as negociações com os credores vão ser retomadas e que tudo fará para encontrar uma solução que permita ultrapassar o impasse em que a Grécia mergulhou.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem no Coachella e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.