sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Milhares na Praça Syntagma ao som de músicas tradicionais

A concentração de pessoas hoje na Praça Syntagma, em Atenas, na sequência do referendo na Grécia, decorreu pacificamente ao som de músicas tradicionais e com a intervenção da presidente do parlamento grego.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Pelas 00:45 locais [22:45 em Lisboa] algumas pessoas começaram a desmobilizar, mas no local continuavam ainda milhares de gregos, que se juntavam em rodas a dançar músicas tradicionais, saídas de dois altifalantes montados num pequeno palco.

A dar cor ao espaço estão bandeiras da Grécia, do Syriza, de Espanha e de Portugal agitadas pelos presentes.

O primeiro-ministro Alexis Tsipras não apareceu na Praça Syntagma, mas esteve lá a presidente do parlamento grego e dirigente do Syriza, Zoe Konstantopoulou, o que provocou alguma agitação.

 

Lusa

*** Pedro Caldeira Rodrigues, enviado da agência Lusa ***

  • "Se me pergunta se estou de consciência tranquila, estou"
    2:13

    País

    O ministro Vieira da Silva assegura que aguarda com tranquilidade que a investigação em curso esclareça as alegadas irregularidades na associação Raríssimas. Alguns mecenas estão já a suspender o apoio, na sequência do escândalo que já levou a duas demissões. 

  • Novo regime dos recibos verdes "acaba com as injustiças dos escalões"
    1:10
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.