sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Schulz diz que Europa deve discutir já programa de ajuda humanitária

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, defendeu hoje que a União Europeia deve discutir urgentemente um programa de ajuda humanitária à Grécia, para evitar que os cidadãos paguem o preço da "situação dramática" a que o Governo levou o país.

© Yves Herman / Reuters

Numa mensagem-vídeo divulgada em Bruxelas, após ter-se tornado irreversível a vitória do "não" no referendo hoje realizado na Grécia, que admite ter sido "esmagadora", o presidente da assembleia diz que é necessário respeitar a escolha do povo grego.

No entanto, Schulz acrescentou de imediato que o desfecho coloca o país numa situação difícil, até porque considerou falsa a promessa do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, de que um triunfo do "não" reforça a posição negocial da Grécia.

Considerando "muito difícil e perigosa" a promessa feita pelo ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, de que na terça-feira os bancos já estarão reabertos e já haverá dinheiro, Schulz disse acreditar que o povo grego vai ter dias ainda mais difíceis no futuro imediato.

Por isso, o presidente do Parlamento Europeu defende que, "amanhã [segunda-feira] ou o mais tardar na terça-feira", dia de cimeira da zona euro, a UE deve discutir "um programa de ajuda humanitária para a Grécia".

"Os cidadãos comuns, os pensionistas, os doentes ou as crianças nos infantários não devem pagar o preço da situação dramática em que se encontra o país e a que o Governo levou agora o país", afirmou.

"É necessário imediatamente um programa humanitário e espero que o Governo grego apresente nas próximas horas propostas reais e construtivas, permitindo que seja possível renegociar. Caso contrário, entraremos em tempos muito difíceis e ainda mais dramáticos", advertiu.

Apontando que há que respeitar o processo democrático na Grécia, Schulz lembrou que há "governos e parlamentos democráticos" nos outros 18 países da zona euro, pelo que cabe ao Governo de Tsipras apresentar agora propostas e convencer os outros membros da zona euro e as instituições de que "é necessário, possível e mesmo eficaz" retomar as negociações.

 

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.