sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Piketty e outros economistas apelam a Merkel para que mude de postura

Um grupo de economistas, entre os quais o francês Thomas Piketty, exigiram à chanceler alemã, Angela Merkel, que altere a sua postura relativamente à Grécia, para evitar danos graves para a Zona Euro.

Numa carta enviada à líder da Alemanha a que o diário alemão ´Tagesspiegel` teve acesso, o grupo diz que "apontaram uma arma à cabeça do governo grego e agora estão a ameaçar que apertam o gatilho".

Numa carta enviada à líder da Alemanha a que o diário alemão ´Tagesspiegel` teve acesso, o grupo diz que "apontaram uma arma à cabeça do governo grego e agora estão a ameaçar que apertam o gatilho".

© Francois Lenoir / Reuters

Numa carta enviada à líder da Alemanha a que o diário alemão ´Tagesspiegel` teve acesso, o grupo diz que "apontaram uma arma à cabeça do governo grego e agora estão a ameaçar que apertam o gatilho". 

"Mas com essa bala não só morre o futuro da Grécia na Europa. Os danos colaterais destruirão a zona euro como farol de esperança, democracia e bem-estar. As consequências serão sentidas em todo o mundo", argumentam os especialistas.

Por isso, os economistas pedem à chanceler para que "assuma um papel de liderança, vital para a Grécia, Alemanha e o mundo" e que dê "passos generosos e valentes". 

"As decisões que tomar esta semana irão constar nos livros de história", lê-se na missiva. 

Para além de Piketty, professor de Economia na Escola de Economia de Paris, a carta foi assinada também por Heiner Flassbeck, ex-secretário de Estado das finanças alemão, Jeffrey Sachs, professor da Universidade de Columbia, Dani Rodrik, professor na Universidade de Harvard, e Simon Wren-Lewis, professor na Universidade de Oxford.

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.