sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Presidente do Eurogrupo revela que acordo está "ainda muito difícil"

O presidente do Eurogrupo indicou que a reunião deste sábado dos ministros das Finanças da Zona Euro sobre a Grécia foi inconclusiva e será retomada no domingo, comentando que "ainda é muito difícil, mas há trabalho em progresso".

(arquivo)

(arquivo)

© Francois Lenoir / Reuters

"Suspendemos a nossa reunião e continuaremos amanhã (domingo) às 11:00 (10:00 em Lisboa). Tivemos uma discussão aprofundada sobre as propostas gregas, a questão da credibilidade e confiança, e discutimos também, claro, as questões financeiras envolvidas. Mas não concluímos as nossas discussões, pelo que continuaremos às 11:00. Ainda é muito difícil, mas há trabalho ainda em progresso, é tudo o que posso dizer", declarou à saída, escusando-se a fazer mais comentários. 

Portugal esteve representado na reunião pela ministra Maria Luís Albuquerque, que não prestou quaisquer declarações aos jornalistas.  

O Eurogrupo, que esteve hoje reunido quase nove horas, realizará no domingo de manhã a sua décima reunião sobre a Grécia nas últimas quatro semanas, imediatamente antes dos encontros ao nível de chefes de Estado e de Governo previstos para a tarde: uma cimeira dos 19 países da zona euro às 16:00 locais (15:00 em Lisboa) e outra dos 28 países da União europeia às 18:00 (17:00 em Lisboa), encontros nos quais participará o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. 

Este fim-de-semana foi apontado por diversos líderes europeus como "absolutamente decisivo" para a crise grega e a situação da Grécia no espaço monetário único, tendo vários responsáveis afirmado que ou há acordo ou então é necessário discutir os moldes de um "Grexit", a saída da Grécia da zona euro.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14